Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Cabeceira da cama precisa ser prática. Saiba como escolher corretamente

Arquitetas indicam a altura ideal para a cabeceira da cama, quais são os materiais que transmitem aconchego e são práticos e dão dicas para compor uma decoração harmoniosa; veja a seguir

Juliana Cazarine Publicado em 28/11/2014, às 12h43 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Veja dicas para escolher a cabeceira da cama - Foto-montagem
Veja dicas para escolher a cabeceira da cama - Foto-montagem

A cabeceira é um item removível, que pode mudar sempre que a decoração for alterada. Mas, na hora de escolher, é preciso pensar no conforto e escolher um recosto alto, praticidade e optar por um material fácil de limpar e harmonia. A seguir, confira dicas e sugestões das arquitetas Marta Calasans e Caroline Gabriades e saiba como escolher.

+ Quarto do filho: saiba como adaptar a decoração da infância até a adolescência

+ Veja como planejar um closet funcional e organizar as peças por ordem de necessidade

1. Altura

A altura da cabeceira da cama tem que atender à necessidade do proprietário do quarto. “O ideal é que a cabeceira tenha de 90 centímetros a um metro e dez de altura, considerando que a cama tenha 60 centímetros. Com essas medidas, o usuário pode se sentar para ler um livro ou assistir televisão, por exemplo”, avalia Marta. O tamanho do quarto e o estilo da decoração também influenciam na altura da cabeceira da cama. “Quanto mais alta, mais clássica. Quanto mais horizontal, mais moderna. Em um quarto pequeno é melhor que a cabeceira não seja alta. E se a cabeceira atrapalhar a circulação, é melhor pintar a parede ou colocar um papel”, afirma Caroline.

2. Materiais e revestimentos

Madeira, couro e tecidos sintéticos são as melhores opções, segundo as arquitetas. “Quem não gosta de madeira, pode optar pelo couro ecológico, por exemplo, ou por um tecido sintético que seja fácil de limpar”, sugere Marta. Como a madeira é um material que transmite aconchego, pode ser misturado com o couro para que o recosto seja confortável. “Falar em cabeceira é o mesmo que falar em cama, que é o principal móvel do quarto. Tamanha importância exige que ela transmita aconchego”, diz.

3. Harmonia na decoração

A decoração tem que ter harmonia, o que não significa que todos os móveis precisam ter o mesmo material. “A cabeceira tem que combinar com o restante da decoração, mas dá para usar madeira clara no armário e escura na cama, por exemplo”, comenta Marta.

4. Iluminação

Uma cabeceira planejada aumenta as possibilidades do projeto de iluminação. “Mesmo tendo abajures nas laterais da cama - o que é recomendado ter sempre, dá para colocar uma luminária para leitura na parte de cima da cabeceira ou até uma fita de led, por exemplo, que garante um ar moderno ao ambiente”, afirma Marta. Para deixar o quarto aconchegante, a arquiteta Caroline indica: “use luz suave atrás da cabeceira e acenda somente ela”, diz.

+ Projeto de iluminação sem lâmpadas no teto deixa o ambiente mais aconchegante