Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Esporte / Julgamento

Caso Daniel Alves: Ele chora em depoimento. Saiba o que ele disse

Hora do depoimento! Daniel Alves fala pela primeira vez no julgamento da acusação de agressão sexual contra uma mulher em boate

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 07/02/2024, às 15h55 - Atualizado às 16h27

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Daniel Alves - Foto: Getty Images
Daniel Alves - Foto: Getty Images

No terceiro dia de julgamento no caso de acusação de agressão sexual, o jogador de futebol brasileiro Daniel Alves falou pela primeira vez. Nos dias anteriores, ele ficou quieto e apenas ouviu os depoimentos das testemunhas e análises dos peritos que investigaram o caso. Nesta quarta-feira, 7, ele se pronunciou em sua vez de prestar o depoimento sobre o que aconteceu.

Ele foi acusado por uma mulher de cometer agressão sexual em um banheiro de uma boate de Barcelona, na Espanha, em dezembro de 2022. Ele ficou detido por um ano e, agora, está em julgamento para receber a sentença. Em seu depoimento, ele relembrou o que aconteceu naquela noite.

No início do seu depoimento, Daniel Alves contou que saiu para comer com seus amigos por volta das 14h30 e consumiram algumas bebidas alcóolicas, como vinho, uísque e saquê. Logo depois, eles foram para um bar e, então, para uma boate. Ele disse que duas mulheres já estavam na área reservada e o amigo dele, Bruno, chamou elas para ficarem com eles. Daniel dançou com uma delas e disse que achou que elas sabiam quem ele era porque elas pediram para tirar foto.

O atleta contou que o clima ficou mais quente entre ele e a mulher com quem estava dançando e eles trocaram carinhos. Então, ele a chamou para ir até o banheiro e ela aceitou. Ele disse que entrou primeiro no banheiro e a mulher entrou um tempo depois. “Ela estava na minha frente e começamos a relação. Lembro que ela sentou em mim. Não sou um homem violento. Não a forcei a praticar sexo oral forçadamente. Ela não me disse nada. Estávamos desfrutando os dois e nada mais”, disse ele no depoimento, segundo o site Globo Esporte.

Logo depois, ele contou que foi para casa e viu a esposa, Joana Sanz, na cama deles. Ele deitou e dormiu. Daniel chorou neste trecho do depoimento. Então, ele relembrou da repercussão na mídia do caso de assédio. “Soube que estavam me acusando de violação sexual. Estava praticamente arruinando porque tive todos os meus contratos rompidos, contas bloqueadas. Fiquei sabendo tudo pela imprensa”, declarou. O depoimento dele chegou ao fim depois disso.

A mulher que fez a denúncia contra Daniel Alves deu o seu depoimento na segunda-feira, 5, e sua identidade é mantida em sigilo para preservá-la do assédio da imprensa. Nesta terça-feira, 6, a esposa de Daniel, a modelo Joana Sanz, também prestou seu depoimento e falou que o marido chegou embriagado em casa naquela noite.

O que acontece se Daniel Alves for condenado?

O jogador de futebol Daniel Alves é julgado no Tribunal de Barcelona, na Espanha, pela acusação de ter cometido agressão sexual contra uma mulher no banheiro de uma boate em dezembro de 2022. A previsão é que o julgamento chegue ao fim nesta quarta-feira, 7, e a justiça dê a sentença para ele. O que acontece se ele for condenado?

O julgamento pode chegar ao fim nesta quarta-feira, mas isso não significa que a sentença já será anunciada. O Tribunal não tem um prazo definido para anunciar a pena dele. Com isso, o atleta continuará preso de forma preventiva até que a sentença seja definida. Vale destacar que a acusação pede que ele receba a pena de 12 anos de prisão, que é o máximo para este tipo de acusação. Enquanto isso, o Ministério Público pede a pena de 9 anos de detenção.

Apesar disso, a justiça pode ainda dar a sentença de 6 anos de cárcere porque ele já pagou uma indenização de 150 mil euros para a mulher que fez a acusação. Outro ponto é que Daniel ainda pode ter que cumprir outros 10 anos de liberdade vigiada depois de cumprir o período de detenção.

Caso Daniel Alves seja condenado como culpado, ele seguirá preso, mas pode entrar com recurso. Caso seja declarado inocente, ele já poderá ser solto e a acusação pode entrar com recurso.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!