Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Letícia Cazarré relembra um dos piores momentos de Guilhermina: ''Paralisada''

Esposa de Juliano Cazarré, Letícia Cazarré, relembra pior momento da filha no hospital e revela como fez para se manter forte

Nataly Paschoal

por Nataly Paschoal

npaschoal@caras.com.br

Publicado em 23/08/2023, às 11h05

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Letícia Cazarré relembra momento mais difícil de Guilhermina - Reprodução/Instagram
Letícia Cazarré relembra momento mais difícil de Guilhermina - Reprodução/Instagram

A esposa do ator Juliano Cazarré, Letícia Cazarré, relembrou um dos momentos mais difíceis que a filha caçula, Guilhermina, enfrentou após seu nascimento. Nesta quarta-feira, 23, a mulher do artista comentou como fez para se manter arrumada, mesmo diante de uma situação dramática.

Com a herdeira, diagnosticada com anomalia de Ebstein, Letícia Cazarré apareceu nos registros tirados no hospital e chamou a atenção para sua aparência. Isso porque, ela apareceu maquiada e bem vestida, a mãe da bebê explicou que fez isso para se manter forte e à altura do que a menina merecia por ser uma garota forte.

"Há um ano, a Guilhermina vivia uma recuperação muito difícil, do pior momento de nossas vidas", começou dizendo sobre o que vivenciaram logo após o nascimento da bebê me junho. "Ela estava muito machucada, praticamente paralisada, não conseguia mais engolir, nem respirar sozinha. Desde então ela luta como uma guerreira para se recuperar! Nunca desistiu", falou sobre a força da pequena.

Letícia Cazarré então comentou sobre o que sentiu e como fez para se manter forte. "Foram dias, semanas, meses de incertezas, angústias, sustos, solidão, saudades de casa. Eu estava exausta? Sim. Preocupada? Sim. Assustada? Sim. Mas eu nunca deixei de me pentear, maquiar e me vestir de uma maneira apropriada para estar ao lado da minha filha. Nem nos piores momentos. Nem depois das piores noites em claro. Com cada novo nascer do sol, eu ganhava uma nova oportunidade de SERVIR", explicou.

"Nunca apareci no hospital desarrumada, por mais esgotada (física e mentalmente) que estivesse. E a Guilherme também, nunca deixou de ser arrumada, nem nos piores momentos. Se não pudesse colocar um laço, eu a cobria com um paninho lindo, limpo e bem passado (por mim!). Enfeitava o berço. Isso, gente, não é futilidade. É luta", falou sobre sua persistência e da herdeira.

"Maria Guilhermina de Guadalupe nasceu lutando e não desistiu nem uma única vez. Sofreu no próprio corpo dores e desconfortos que a maioria de nós sequer poderia imaginar. Não sou eu quem vai usar a dor e o cansaço como desculpa e não estar à altura da minha filha. Se você é mãe, lute!", encorajou ela.

Leia também:Médica conta detalhes do tratamento da anomalia de Ebstein, doença da filha de Cazarré

Veja as fotos do momento:

Filha Juliano Cazarré

Filha Juliano Cazarré

Filha Juliano Cazarré

Filha Juliano Cazarré

Filha Juliano Cazarré

Filha Juliano Cazarré

Juliano Cazarré revela nova rotina após filha deixar hospital

Depois de enfrentar um grande período de cuidados com a filha na UTI, o ator Juliano Cazarré (42)  tem respirando mais aliviado. Em entrevista à Revista CARAS, o global comentou como está sendo a rotina da família com a chegada de Maria Guilhermina à sua casa. 

A caçula do Cazarré nasceu com uma cardiopatia congênita rara, chamada Anomalia de Ebstein. Enquanto estava na UTI, a garotinha passou por quatro cirurgias no coração e, hoje, segue seu tratamento no home care. 

“Em casa, os irmãos conseguem visitar todo dia, antes de sair de casa todo mundo passa lá para dar um beijinho. Agora que ela está menos invadida, a gente consegue pegar ela no colo toda hora, então, acho que isso vai ajudar na recuperação também”, acredita Juliano.

Atualmente, Guilhermina tem em casa um monitoramento 24 horas para medir frequência respiratória, cardíaca, saturação e pressão. As cirurgias que ela passou foram importantes para ela ter um coração mais próximo do normal possível.