Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Vips revelam amor e suas relações com o automobilismo

Marcelo Tas, Renata Fan, João Carlos Martins e muitos outros astros contaram em bate-papo com a CARAS Online sobre suas relações com o automobilismo e a paixão por velocidade

Redação Publicado em 29/04/2012, às 16h54 - Atualizado às 17h19

Vips revelam amor e suas relações com o automobilismo - Francisco Cepeda / AgNews
Vips revelam amor e suas relações com o automobilismo - Francisco Cepeda / AgNews

O frio e a garoa fina que insistiram em marcar presença na etapa brasileira da Fórmula Indy – Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé na manhã deste domingo, 29, na capital paulista, não assustaram nem um pouco os convidados previstos para conferir a esta que já recebe o título de modalidade de corrida mais democrática de todas.

A corrida contou com a bandeirada inicial da bela Sabrina Sato (31), integrante do humorístico Pânico na Band, que abriu os trabalhos do circuito de rua montado no Anhembi e na região da Marginal Tietê, além de mais cedo ter estreado nos altos km/h em um “passeio” no carro two-seater. Mas dos bastidores, outras estrelas revelaram seu amor e os detalhes da relação de longa data com o esporte.

Gosto muito desse ambiente de automobilismo desde criança. Eu frequento e acho bárbaro motores e barulho. Acho esse esporte a cara da cidade de São Paulo”, contou o apresentador Marcelo Tas (52), âncora da bancada do CQC. Fã de tecnologia, ele contou ainda que também é apaixonado por velocidade. “Gosto de correr, mas só onde é permitido”, brincou o jornalista.

Pela primeira vez curtindo o evento, o humorista Marco Luque(38) foi acompanhado da esposa Flávia Vitorino (28) e falou sobre a diferença de assistir à corrida em casa. “Em casa a gente pode assistir descalço, largado no sofá. (risos) Aqui a gente tem que dar uma espremidinha na grade, é outra emoção. O barulho é real, é muito alto, não dá pra abaixar o controle”, brincou. 

E para um evento especial, não poderiam faltar ainda mais participações especiais. Seis dias após realizar uma operação no cérebro, para melhorar o funcionamento de sua coordenação motora, o maestro João Carlos Martins (71) entrou em cena na corrida desta manhã para representar nossos pilotos tocando o hino nacional no piano. Admirador da modalidade há muitos anos, o maestrou falou sobre a honra de representar o Brasil nesta corrida.

"É uma honra estar aqui, mais do que como pianista, mas como torcedor. Eu adoro desde a época do Emerson Fittipaldi (65) e sou um fã de Fórmula Indy onde todos têm uma chance. Da forma como a competição é realizada, até o último segundo você tem emoção", afirmou o maestro. Quem também participou do circuito, mas cantando o hino nacional norte-americano, foi a cantora Luiza Possi (27), que recebeu do maestro a tietagem no lugar de sua mãe, de quem João Carlos Martins revelou ter sido fã.

A miss Brasil Priscila Machado(26), que perde o título para uma nova musa brasileira em setembro, comentou o resultado da corrida. “Os brasileiros não ficaram muito bem colocados, mas pelo que eu fiquei sabendo, eles já largaram em posições mais lá atrás e se recuperaram bem. Vamos ver se na próxima eles fazem uma corrida melhor ainda e chegam ao podium”.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (51) comemorou o sucesso do evento.“Um evento como esse era empregos e os turistas e equipes que vêm deixam recursos e geram receita, além de criar esse astral maravilhoso que o esporte cria”.

Fórmula Indy X Fórmula 1

Há três anos na cobertura da Fórmula Indy pela BAND, a apresentadora Patricia Maldonado (36) levantou a bandeira do circuito quando comparado à Fórmula 1. Para ela, a palavra de ordem da modalidade é acesso.

“Este é um circuito que permite a proximidade de quem gosta e quem corre, que é o mais bacana nessa categoria. Você consegue ficar perto deles na garagem e até entrar na pista, coisa que na Fórmula 1 é impossível. Acho também que é mais competitiva que a Fómula 1 porque eles correm bem mais, além de que quem corre em último pode chegar em primeiro, isso é uma coisa difícil de acontecer na Fórmula 1. Aqui a corrida é mais longa e os carros são iguais”, avaliou.

Para a Miss Brasil 1999 e apresentadora do programa esportivo Jogo Aberto, Renata Fan (34), a Fórmula Indy é o principal evento de corrida no país e, por isso, as arquibancadas estão sempre tão cheias quando acontecem as etapas brasileiras – sem contar com o diferencial de ser uma corrida extremamente democrática, claro. “Bia Figueiredo é uma mulher que sabe o que quer, que treina e se dedica muito, e além dela temos outras duas mulheres correndo. É muito bom ver que a Indy oferece essa diversidade”, afirmou comparando a modalidade com a Fórmula 1, que não possui mulheres na disputa.

O pódio do Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé foi comemorado pelo australiano Will Power, que já havia vencido a etapa brasileira por duas vezes – em 2010 e 2011, seguido pelo norte-americano Ryan Hunter-Reay e o japonês Takuma Sato. O brasileiro Hélio Castroneves (36) ficou com a quarta colocação da corrida.