Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A banda James Farm é fã da música brasileira. Veja entrevista com os músicos!

Redação Publicado em 10/06/2013, às 19h17 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Conheça a banda James Farm e saiba o que eles pensam sobre o Brasil - Marcos Hermes
Conheça a banda James Farm e saiba o que eles pensam sobre o Brasil - Marcos Hermes

A banda James Farm veio pela primeira vez ao Brasil para se apresentar no BMW Jazz Festival. Mas o saxofonista Joshua Redman, o pianista Aaron Parks, o baixista Matt Penman e o baterista Eric Harland já estiveram por aqui outras vezes. E pelo entusiasmo com que falam do país, dá para arriscar dizer que amam estar por aqui. Ainda mais porque a nossa música os encanta. “A música brasileira é tão maravilhosa e variada, cheia de facetas. Há muitos gêneros diferentes e todos são muito bonitos”, diz Joshua Redman. Os músicos receberam a equipe da CARAS durante a passagem de som, antes do show, e falaram sobre a música brasileira e como se sentem estando no Brasil. Confira!  

Johnathan Blake vem ao Brasil pela primeira vez como bandleader. Veja entrevista com o músico

Descubra em 7 razões por que entrar na onda do jazz

Vocês gostam de tocar no Brasil?

Joshua Redman: Eu adoro vir aqui, o público é sempre fantástico e emocionado, é um lugar muito musical.

Matt Penman: É incrível estar aqui. Há tanta alegria na cultura brasileira e quando as pessoas escutam música, querem experimentar esta alegria. Você vê os sorrisos e quer fazer com que eles sintam cada vez mais isso. Porque todos gostam de alegria na música.

E o que vocês conhecem da música brasileira?

Joshua Redman: Conheço alguma coisa da Bossa Nova, amo João Gilberto, Milton Nascimento, Djavan. A música brasileira é tão maravilhosa e variada, cheia de facetas. Há muitos gêneros diferentes dentro da música brasileira e todos são, de alguma maneira, muito bonitos. Existe uma fragilidade muito bonita em toda esta musicalidade.

Matt Penman: Sou um grande fã de Djavane Milton Nascimento. Recentemente descobri o cantor e violonista Guinga e me apaixonei por sua música. Adoraria tocar com ele ou com Milton Nascimento. Vocês têm muita sorte, há muitos artistas de qualidade do Brasil.  

Eric Harland: Eu amo Ivan Lins, ele definitivamente é um dos meus favoritos. Mas há diversos grandes artistas brasileiros.

Aaron Parks: Ouço muita música brasileira desde sempre. Comecei a ouvir música brasileira provavelmente na mesma época em que comecei a ouvir jazz. Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal foram grandes influências quando comecei a tocar e a lista continua. Adoro a música brasileira e sua harmonia é incrível. Muitas coisas da música brasileira podem ser consideradas jazz, sinto que elas estão próximas em muitas maneiras.

“A música brasileira é muito respeitada pelo mundo afora”, diz Zé Nogueira

Muitos artistas incluem o jazz em seu estilo de música. O que vocês acham disso?

Matt Penman: Os artistas estão ultrapassando os gêneros. Gênero hoje é uma maneira de identificar suas influências musicais, mas isso não significa que é a única coisa que faça. Joss Stone, por exemplo, é uma artista pop com influências de jazz. Nós somos um grupo de jazz que ouve muita música pop. Afinal, é tudo apenas música. Podemos dizer que esteticamente escolhemos um caminho, mas acredito que os músicos mais interessantes são bastante abertos para transitar entre os gêneros.

Eric Harland: Músicos e artistas estão provando que amam todo tipo de música. Gostamos da liberdade de um ritmo, a estrutura de outro, o groove do outro ou a harmonia de um outro. E quando tentamos reunir tudo isso, fica mais difícil classificar em gêneros.

Zuza Homem de Mello fala da 'inveja' de roqueiros com o jazz

Veja os 6 artistas que são as novas promessas do jazz