lgbt tenso

Diego Hypólito relembra bullying na infância: ''Me espancavam e me humilhavam''

Diego Hypólito revelou os preconceitos e humilhações que sofria na ginástica de seu técnico e companheiros de treino

CARAS Digital Publicado terça 12 novembro, 2019

Diego Hypólito revelou os preconceitos e humilhações que sofria na ginástica de seu técnico e companheiros de treino
Diego Hypólito - Reprodução/Instagram

Diego Hypólito desabafou em suas redes sociais nesta segunda-feira, 12, após ser criticado por um de seus seguidores.

O internauta, que se incomodou com a falta de posicionamento político do atleta, comentou que ele apenas “usufrui das conquistas” do movimento LGBT e não tem empatia com as pessoas que sofrem preconceito.

Assumidamente gay, o ginasta resolveu contar suas experiências com o bullying e o preconceito do próprio técnico.

“Vim de raízes muito humildes, sete anos seguidos sendo vendedor ambulante em Copacabana e sendo chamado de cabeça de caminhão, Frankestein… Na mesma época, me prendiam em uma caixa de plinto, que era chamada de caixão da morte. Meu técnico falava para minha mãe que eu era gay desde os meus 11 anos de idade. Me faziam ficar nu com 9 anos de idade, pegar uma pilha com o ânus na frente de vários outros atletas, pois senão, me espancavam e me humilhavam, rindo e achando isso o máximo”, escreveu.

“E eu como passava fome dentro de casa, pois meus pais saíram de São Paulo para o Rio de Janeiro para o sonho dos três filhos de serem ginastas em um lugar melhor, mas, na verdade, financeiramente foi muito pior, pois ficamos 6 a 8 meses sem energia e lembro do desespero da minha mãe, pois não tinha o que comer, não falo de proteína. Não tinha nem arroz e só tinha como acender o fogão com fósforo! E 49 centavos que era o preço, muitas vezes nem tínhamos como comprar”, concluiu.

Atualmente, Diego está num relacionamento com o advogado Marcus Duarte.

Diego Hypólito e o namorado, Marcus Duarte

Último acesso: 08 Apr 2020 - 13:10:29 (334752).