Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / EITA!

Antes de expulsar Otávio Mesquita, Danilo Gentili já se envolveu em outras confusões; relembre

Danilo Gentili se tornou assunto ao expulsar Otávio Mesquita do programa The Noite

Mariana Arrudas Publicado em 17/08/2023, às 09h50

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Montagem de fotos dos apresentadores Danilo Gentili e Otávio Mesquita - Foto: Reprodução/Instagram @danilogentili @otaviomesquita
Montagem de fotos dos apresentadores Danilo Gentili e Otávio Mesquita - Foto: Reprodução/Instagram @danilogentili @otaviomesquita

O apresentador Danilo Gentili (43) se tornou assunto nesta semana após expulsar Otávio Mesquita (63) de seu programa, The Noite, no SBT. Apesar do episódio recente, esta não é a primeira fez em que o humorista se envolve em polêmicas ou confusões. Relembre a seguir.

Antes de chegar ao SBT, Danilo Gentili foi cartunista, teve um blog, se lançou no mundo do stand-up comedy e passou por outras emissoras, fazendo bastante sucesso em programas humorísticos como o CQC, e ao longo dos anos se envolveu em algumas polêmicas.

Em uma delas, ele foi acusado de racismo por conta de um tuíte citando o filme King Kong. "Agora, no Telecine, King Kong, um macaco que depois que vai para a cidade e fica famoso pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?". 

Leia também:Otávio Mesquita explica confusão com Danilo Gentili nos bastidores do SBT

Na época, ele chegou a ser acusado por injúria racial, mas foi inocentado. No ano de 2014, ele também se envolveu em uma confusão com Luciana Genro (PSOL), que concorria à presidência. Após entrevistá-la na época de sua campanha eleitoral, ele fez uma montagem a comparando a Hitler.

Ele também já se envolveu em uma polêmica com Thais Carla, dançarina de Anitta e ativista contra a gordofobia. A artista havia reclamado dos tamanhos das poltronas de avião e o humorista escreveu em seu Twitter: "Nunca vi essas pessoas reclamarem que a cadeira do McDonald's é pequena."

Danilo Gentili chegou até a ser investigado pelo Ministério Público Federal em relação as peças de divulgação do filme Como se Tornar o Pior Aluno da Escola. Na época, a investigação apurava uma possível omissão da classificação indicativa do filme, que usava a frase: "O pior aluno da escola nunca verifica a classificação indicativa do filme", em suas peças publicitárias.