Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS

Valéria Baraccat Gyy se encanta com a solidariedade de Mozah

Brasileira e mulher do Emir do Qatar falam sobre portadores de deficiência durante fórum de entidade de Hassan Ali Bin Ali

Redação Publicado em 07/02/2012, às 13h26 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Hassan recebe Valéria e Mozah em jantar de gala. - Maher Attar
Hassan recebe Valéria e Mozah em jantar de gala. - Maher Attar

Conhecida por sua elegância e luta em prol da educação, Mozah Bint Nasser Al Missned (52), segunda das três mulheres do emir do Qatar, xeque Hamad Bin Khalifa Al-Thani (60), encanta a todos por onde passa, e com a paulistana Valéria Baraccat Gyy (48), presidente do Instituto Arte de Viver Bem, não foi diferente. Mozah fez questão de prestigiar o 5º Fórum Shafallah Internacional, em Doha, capital do país árabe. Promovido pelo Centro Shafallah para Crianças com Necessidades Especiais, o evento reuniu, em três dias, participantes de mais de 50 países, que discutiram a situação de pessoas portadoras de deficiência marginalizadas em situações de risco, como catástrofes naturais, guerras e conflitos. “Precisamos prestar atenção a causas como esta. Mais do que falar, temos de fazer”, destaca Mozah, também presidente da Qatar Foundation.

Após conhecer o espaço, onde foram recebidas pelo presidente do centro, Hassan Ali Bin Ali (61), as duas iluminaram jantar de gala em luxuoso hotel da cidade. “Foi incrível conhecê-la. Ela é um escândalo de linda e inteligente, tem conexão com tudo quanto é chefe de Estado, desde Nicolas Sarkozy, da França, até a rainha Elizabeth II, da Inglaterra. Tem tanta personalidade que está quebrando paradigmas. No mundo islâmico, as mulheres têm de andar todas cobertas, até o rosto, mas ela deixou o véu cair, o usa com dois dedos de cabelo aparecendo. E é respeitada mundo afora”, observa a brasileira, convidada de Cherie Blair (57), coorganizadora do evento e mulher do ex-primeiroministro da Inglaterra Tony Blair (58). “Eu gostaria de pedir aos governos que colaborassem com a igualdade, com o instituto e com a implementação deste fórum. Queremos ser os melhores amigos e os conselheiros das pessoas com deficiência”, afirma Hassan, sobre como apoiar a causa.

Mulher do primeiro-ministro do Quênia, Raila Odinga (67), Ida Odinga (67) participou dos debates, assim como Valerie Amos (57), chefe humanitária da ONU, Mirad Al Hussein (46), príncipe da Jordânia, o professor universitário na África do Sul Jhalukpreya Surujlal (40), o paratleta francês Philippe Croizon (44) e os jornalistas Tania Bryer (49) e Bob (51) e Lee Woodruff (50), marido e mulher, além da brasileira Rosangela Berman Bieler (54), do Unicef. “Aprendi muito sobre um tema que é pouquíssimo propagado. A viagem também me emocionou por ter sido minha a primeira vez no Oriente Médio. Meu pai era libanês, então, veio à mente toda a minha origem”, conta Valéria, entusiasmada.