Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Atriz já estava cansada de papeis ‘perua’

Vivendo a tia Magda em O Astro, Rosamaria Murtinho festeja o papel, diz que torce para que sua personagem seja a assassina da trama e ainda confessa que estava cansada de fazer peruas que pegam garotões

Redação Publicado em 23/09/2011, às 17h20 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Rosamaria Murtinho como a tia Magda - TV GLOBO / João Miguel Júnior
Rosamaria Murtinho como a tia Magda - TV GLOBO / João Miguel Júnior

Estrela da televisão brasileira, Rosamaria Murtinho (75) coleciona adjetivos. Fera na atuação, ela ainda se destaca pelo jeito simples, simpático e doce de ser, aliados à elegância de sempre.

No ar como a tia Magda em O Astro, a atriz festeja o papel e ainda faz uma revelação. “Minhas últimas personagens eram ‘peruas’, todas bem vestidas e que davam em cima de garotões. Como nem na vida particular eu sou assim, já estava até aqui desses papeis”, contou à CARAS Online, em tom bem-humorado.

Para ela, o que todo ator mais quer é um bom personagem. “Com isso você faz teatro, televisão, cinema, séries, até um bom comercial. Mas eu estava com uns... Agora me deram essa tia solteirona e eu fiquei pensando em como fazê-la”, explicou Rosamaria, que vive na TV uma mulher amarga, mal amada e deprimida. “Lembrei de uma tia da minha mãe que era toda assim, pra dentro. E também tinha uma comadre que fechava muito os braços quando ficava chateada. Achei que poderia usar isso na tia Magda.”

Ainda sem saber quem matou Salomão Ayalla (Daniel Filho), a grande questão da trama, a atriz revelou que adoraria ser a assassina. “Bem que ela podia ter uma reviravolta grande e se revoltar. É uma pessoa que conhece tudo da casa”, disse ela, na torcida para que tia Magda ganhe ainda mais destaque.

Uma preocupação de Rosamaria é que seus trabalhos tenham muita veracidade. “Como atriz, não abro mão do personagem. Se tem que estar triste, não pode ter batom, por exemplo. Se tiver que chorar, eu choro mesmo, se tiver que estar meio borrada, eu fico. Me arrumo fora de cena, como Rosamaria, mas como tia Magda tem que ser diferente”, explicou, abrindo mão da vaidade por um trabalho de excelência.

Já na vida real, ela confessou que gosta, sim, de se arrumar. “Se eu sigo a moda? Não adianta dizer que não, porque ela te persegue. Mas eu tenho roupas de mais de 20 anos no meu closet, que é do tamanho do meu quarto. Tomo cuidado com as peças, sou muito organizada”, contou Rosamaria, que ainda se definiu uma mulher prática. “Se eu estiver de legging e chinelos e tiver que me aprontar em 10 minutos, estarei pronta na hora.”