Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Rodrigo Andrade: inspiração em atores internacionais para compor o Berto de 'Gabriela'

Rodrigo Andrade conta que se inspirou em Al Pacino, Marlon Brando e John Malkovich para compor seu personagem, o Berto de 'Gabriela', e afirma que ninguém deve agir como o rapaz machista de Ilhéus

Redação Publicado em 19/07/2012, às 21h48 - Atualizado em 27/07/2012, às 14h05

Berto (Rodrigo Andrade) - Divulgação/TV Globo
Berto (Rodrigo Andrade) - Divulgação/TV Globo

Após interpretar Eduardo, um homossexual que sai do armário em Insensato Coração, Rodrigo Andrade (28) agora experimenta um personagem completamente oposto. Na pele de Berto em Gabriela, novela das 11 da Globo, o ator conta que foi sozinho à Bahia e ficou lá por 15 dias para observar o jeito das pessoas falarem e agirem.

Mas não foi só isso. Rodrigo também se inspirou em três ícones do cinema internacional. “O Berto tem um pouco do coronelismo, da macheza de Al Pacino no primeiro filme da trilogia de 'O Poderoso Chefão', um pouco do jeito rude de Marlon Brando. Um pouco da frieza, do olhar vazio e sem sentimento de John Malkovich em 'Ligações Perigosas'. Fiz um mix desses três personagens e ainda trago o Rodrigo junto”, disse o ator, que também estudou a obra de Jorge Amado (1912-2001), ao site oficial da trama.

Mergulhado no universo de Berto, ele recomenda que ninguém siga os mesmos passos que seu personagem, que passa por cima de qualquer pessoa para conseguir o que quer, inclusive da noiva, Lindinalva (Giovanna Lancellotti, 19), mas que pensa agir certo. “O Berto não se vê como um mau-caráter. No ponto de vista dele, se a noiva dele foi fraca, azar o dela. Ele passa por cima de quem quer que seja para se dar bem, só pensa na posição social”.

Em um relacionamento sério há quase dois anos, Rodrigo garante que, apesar de a namorada ter ciúmes das cenas quentes, o sentimento não é doentio e admite que o comportamento masculino não mudou muito de antigamente até os dias de hoje. “Eles se fechavam para o mundo, mas desde aquele tempo qualquer rodinha de homem fala de mulher. Muitos homens continuam capazes de estar com uma mulher e ir para a cama com outras sem peso na consciência”, finalizou.

Gabriela, novela das 11 da Globo, vai ao ar de terça a sexta-feira.