Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

'Quem quer se matar não avisa', diz Cristina Mortágua

Redação Publicado em 05/10/2012, às 17h19 - Atualizado às 18h12

Cristina Mortágua - AGNews
Cristina Mortágua - AGNews

Cristina Mortágua (42), que mobilizou as redes sociais ao fazer um desabafo no início desta semana, participou do quadro Os Donos do Jogo, do Programa da Tarde, da Record, nesta sexta-feira, 5, e respondeu as diversas perguntas polêmicas feitas pelos apresentadores Britto Jr. (49) e Ticiane Pinheiro (36). Questionada sobre a possibilidade de ser responsável pelo gasto da pensão de seu filho, Alexandre (17) – fruto de um affaire com o jogador Edmundo (41) – a ex-modelo falou da difícil relação com o herdeiro e com a mãe, detentora da guarda do rapaz.

“Você tem que perguntar pra ele ou ela se isso [gasto da pensão] é verdade. Sabe o que eu fazia com o dinheiro do Alexandre? Absolutamente nada. Ele administra mal tudo o que ganha do pai. Essa pergunta eu sugiro que você faça para a minha mãe ou para ele”, disparou Cristina, que ainda relatou o caso de desaparecimento de seu filho, ocorrido em agosto deste ano. “O Alexandre está vivendo um momento difícil da adolescência. Ele tem o costume de não atender o telefone ou telefonar quando sai de casa e teve um episódio em um hotel de São Conrado que ele sumiu. O que aconteceu é que minha mãe estava desesperada porque ele não telefonava. Porém, apesar de não ter mais a guarda dele, não podia deixar minha mãe de lado. Não me arrependo de nada que fiz pela vida do meu filho porque sou mãe.

Após Britto Jr. perguntar se Edmundo era um pai presente na vida de Alexandre, a artista contou que foi processada pelo jogador em outra ocasião quando teve que responder a mesma pergunta. “Ele me processou criminalmente porque respondi ao apresentador: ‘você acha que o pai que não vai ao aniversário do filho pode ser considerado presente?’. Obviamente ele perdeu, mas evito falar no nome dessa pessoa. Já o procurei por achar que a figura paterna é muito importante na vida de um filho, mas ele nunca me retornou”.

Ameaça de morte

Sem medo, Cristina relatou o momento em que foi ameaçada de morte por uma pessoa denominada Pedrão quando estava grávida de Alexandre. “Pedrão existem vários por aí, mas não posso dar o nome dele porque não tenho provas. Baba ovos que não têm dinheiro e vivem na aba de jogadores. Ele ligou o meu celular e falou: ‘Some da vida do Edmundo porque você não tem noção do que eu posso fazer com você”.

Em seguida, ela contou como enfrentou a ameaça e falou do momento em que recebeu o criminoso em sua casa: “Eu falei: ‘Não atravessa meu caminho, querido. Reza pra não cair um fio do meu cabelo, senão a culpa vai ser do seu patrão’. Não guardo raiva, rancor, e depois de um tempo essa pessoa foi até a minha casa para vender camisas falsificadas”.

Sem se incomodar com os questionamentos, Cristina falou de seu estado de saúde e explicou como o fato de ter sido detida em uma delegacia atrapalha sua vida profissional. “O que eu mais vejo [na internet] são pessoas desabafando, falando da vida dos outros. Não fico ligando para paparazzi para me fotografar na praia, eu não sou famosa. O que aconteceu foi por conta do caso na delegacia: ficou difícil trabalhar. Depois desse episódio fiz acompanhamento com psiquiatra e fiquei um mês de cama, a medicação me deixava prostrada ao invés de me levantar. Não sou uma pessoa deprimida, sou uma pessoa extremamente criativa e esse momento eu não conseguia fazer nada. Há duas ou três semanas tive conhecimento de uma franquia que eu confio muito e eu queria vender meu imóvel para investir nessa franquia. A pessoa queria comprar meu imóvel com tudo dentro, pois adorou a decoração, mas esse episódio da delegacia impediu. Isso me deixou muito triste porque tinha certeza que minha vida profissional ia deslanchar. Não quero fazer novela ou ser famosa, quero trabalhar. Um dia ruim não significa uma vida inteira ruim”. E acrescentou, falando sobre os boatos de suicídio: “Quem quer se matar não avisa. Deus está me ensinando a viver com menos, a fazer um planejamento. Ganhei muito dinheiro, mas infelizmente não tive uma assessora para meu direcionar. Mas a fase ruim já passou”.

Voltando a falar de Alexandre, a ex-modelo comentou o fato de o filho ter o quarto todo pintado de preto. “Quando ele morava comigo, na nossa casa, ele tinha o quarto todo branquinho e quis pintar o banheiro todo de vermelho. Depois, após um vazamento, ele optou por pintar o quarto de berinjela e eu achei bonito, porque era a cor da moda. Quando ele veio me pedir para pintar o quarto de preto, disse que quem vive num quarto preto é porque não tem luz. Na minha casa não deixei, pois na minha casa existem limites, regras. Limite é a maior prova de amor que existe. Todas as roupinhas dele eram brancas, agora ele pintou o quarto de preto”.

Affaire com homem casado

Na época em que viveu um affaire com Edmundo, Cristina sabia que o ex-jogador era casado e diz ter se relacionado com o atleta por imaturidade. “Por imaturidade me envolvi com homem casado. Nosso encontro foi divertido. Reconheço, fui inconsequente, nunca quis brigar por ele. Um homem que trai a esposa comigo, amanha vai me trair com outra mulher”.

A artista ainda ressaltou a atitude de Edmundo ao saber da gravidez. “Eu estava há três meses sem ter relacionamento nenhum. Só contei para ele que estava grávida porque minhas amigas me pressionavam. Ele teve uma atitude nobre. Ele disse: ‘sou contra o aborto e tudo que meu filho precisar ele vai ter’. Ele nunca pediu para eu tirar, dizia ‘Não vou poder te dar o apoio que você precisa, pois moramos longe e eu tenho família”. E acrescentou, falando da pensão que o atleta paga a Alexandre: “Ele paga muito bem”.

Briga e sumiço do filho

“Não tenho raiva do meu filho. Infelizmente, pai e mãe a gente não escolhe. Para minha mãe não sou a filha que ela queria que eu tivesse tido”, disparou Cristina assim que Ticiane Pinheiro e Britto Jr. aprofundaram os questionamentos sobre sua relação com o herdeiro. Assim que os apresentadores perguntaram se é verdadeira a declaração em que Alexandre assume ser gay e sair de casa para se drogar, a ex-modelo contou da época em que ficou 10 dias sem dormir para vigiar o filho.

“Naquele dia estava há 10 dias sem dormir. Ele tava com hábito de fugir. Coloquei dentro de mim a responsabilidade de que se algo acontecesse com ele, o pai dele viria atrás de mim. Eu vigiava ele, dormia no sofá, usava sedativos. Eu estava inconsciente. Mãe de verdade protege”, disse a artista, que afirmou não ter preconceitos em relação a escolha sexual do filho. “Não tenho preconceito, tenho amigos homossexuais que tenho o maior carinho. Tenho relacionamentos ótimos”.