Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Priscilla Presley abre exposição sobre Elvis

Os 35 anos da morte do astro Elvis Presley são marcados por mostra que reúne cerca de 600 objetos

Redação Publicado em 11/09/2012, às 10h38 - Atualizado em 16/09/2012, às 21h01

Priscilla abre a mostra Elvis Experience Brasil, em SP, ela eterniza as mãos. - Julio Vilela
Priscilla abre a mostra Elvis Experience Brasil, em SP, ela eterniza as mãos. - Julio Vilela

No dia 16 de agosto passado, a morte do ídolo máximo do rock and roll completou 35 anos. Mas, no imaginário de muitos, Elvis Presley (1935-1977) está mais vivo que nunca. Para celebrar essa paixão dos fãs pelo Rei do Rock, sua eterna musa, Priscilla Presley (67), decidiu organizar a exposição Elvis Experience Brasil. “Ele está vivo e é por isso que estou trazendo a mostra ao País. Foi difícil para muitos fãs aceitarem a morte de Elvis, mas seu legado é tão grande que fez isso valer a pena”, conta ela, também atriz e escritora, ao abrir a exposição, montada no shopping paulistano Eldorado, ao lado de Jack Soden (65), CEO e presidente da Elvis Presley Enterprises. Após discurso em que relembrou as peculiaridades da vida com o astro, Priscilla, muito aplaudida, eternizou as mãos em uma placa de cimento.

A decisão de fazer “viajar” pela primeira vez parte do acervo de Graceland — mansão que foi lar de Elvis e hoje abriga museu em sua homenagem, em Memphis, EUA — não foi fácil. Após receber, e recusar, pedidos dos mais importantes museus do mundo para exibir os objetos pessoais do astro, Priscilla só se convenceu há um ano, ao ouvir a proposta de Rafael Reisman (42), presidente da produtora 2Share. “Quando falamos sobre a vinda destes itens ao Brasil, eles aceitaram justamente pelo fato de não ser em um museu. O Elvis era um artista popular e nada mais justo que fazer este projeto em um lugar de fácil acesso”, explica o empresário, com a eleita, Janaina Reisman (39), Kevin Kane e Coleen Palmertree, respectivamente presidente e gerente nacional de vendas do Memphis Convention & Visitors Bureau.

Ao todo, estão expostos 600 objetos que marcaram a carreira do ídolo. Entre os destaques, o conversível vermelho que ele usou no filme Feitiço Havaiano, de 1961, uma moto Harley Davidson e o famoso macacão American Eagle, usado no especial Aloha from Hawaii, em 1973. A variedade e importância do acervo atraiu vips para a noite de abertura, que teve o ator e apresentador Cassio Reis (35) como mestre de cerimônias. A jornalista do SBT Cynthia Benini (39) levou a filha, Valentina (9), para “conhecer” Elvis. “A geração dela sabe pouco a respeito de Elvis, mas já gosta das músicas e tem curiosidade por aprender mais”, diz Cynthia. Outra pequena que se divertiu foi Sophia (13), filha mais velha da apresentadora Laura Wie (45).

Já a apresentadora da Record Fabiana Scaranzi (46) conferiu a mostra com o marido, o empresário Álvaro Etchenique (53), e se declarou fã incondicional de Elvis. “Sempre adorei as músicas do Elvis. Vi aqui um contrato que ele assinou em uma toalha de mesa... Achei maravilhoso” conta Fabiana. Já para a atriz Jacqueline Dalabona (43) o item mais curioso é o recibo do anel de casamento que Elvis deu a Priscilla. “Eu perguntei à Priscilla quem tinha guardado esse recibo, pois isso é uma coisa tão feminina, e ela me falou que foi o sogro”, afirma Jacque, embevecida com a expressiva mostra, que fica em cartaz até o dia 5 de novembro.