Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Diego e Daniele: irmãos Hypolito no pódio do Pan de Guadalajara

Diego e Danielle Hypolito conquistam mais um ouro e dois bronzes para a ginástica artística brasileira no Pan-Americano de Guadalajara

Redação Publicado em 28/10/2011, às 19h10 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Irmãos Hypolito no pódio do Pan de Guadalajara - Jefferson Bernardes/VIPCOMM
Irmãos Hypolito no pódio do Pan de Guadalajara - Jefferson Bernardes/VIPCOMM

Atualizada às 19h05

Tarde de comemorações para a família Hypolito. Na tarde desta sexta-feira, 28, os irmãos Diego (25) e Daniele (27), ambos atletas da Seleção Brasileira de Ginástica Artística, conquistaram, respectivamente, medalha de ouro e bronze no Pan-Americano de Guadalajara, no México.

Diego conquistou o ouro no salto com a nota 15.875, contra 15.587 do seu principal adversário, o chileno Enrique Tomás González (25). O ginasta chegou ao bicampeonato pan-americano da modalidade e alcançando sua terceira medalha em Guadalajara após ouro inédito por equipe e ouro no solo. Sendo assim, o ginasta venceu todas as provas nas quais competiu.

Já Daniele, mesmo após cair da trave, conquistou o bronze, a primeira medalha das meninas da ginástica artística na competição. A vaga na final do aparelho era, originalmente, da atleta Priscila Cobello (19), mas, por opção da comissão técnica, Daniele, a primeira reserva, competiu no lugar da companheira de equipe. A nota da brasileira foi 13.750, ficando atrás apenas da campeã Ana Sofia Gomez, da Guatemala, com 14.175, e da canadense Kristina Vaculik, com 13.925. Em seguida, a brasileira inciou a disputa no solo, aparelho no qual também obteve a terceira colocação, com 13.750, faltando apenas 0.5 para conseguir o ouro, que ficou com a mexicana Ana Estefania Lago com a marca de 13.800. a prata ficou com a canadense Mikaela Gerber, que conseguiu 13.775 pontos.

Com o ouro de Diego Hypolito, o Brasil ultrapassa Cuba no quadro geral de medalhas e reassume a segunda colocação com 40 de ouro, 26 de prata e 49 de bronze.