Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Artistas gravam campanha para o Campeonato Paulista de 2012

Os torcedores Paulinho Vilhena, Jayme Matarazzo, Julio Rocha, Tato Gabus Mendes e João Carlos Martins deram seus depoimentos sobre seus clubes de coração

Redação Publicado em 20/01/2012, às 15h50 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

O santista Paulinho Vilhena, o palmeirense Jayme Matarazzo, o corintiano Julio Rocha, o sãopaulino Tato Gabus Mendes e o maestro João Carlos Martins, torcedor da Portuguesa - Reprodução
O santista Paulinho Vilhena, o palmeirense Jayme Matarazzo, o corintiano Julio Rocha, o sãopaulino Tato Gabus Mendes e o maestro João Carlos Martins, torcedor da Portuguesa - Reprodução

O santista Paulinho Vilhena (33), o palmeirense Jayme Matarazzo (26), o corintiano Julio Rocha (32), o sãopaulino Tato Gabus Mendes (51) e o maestro João Carlos Martins (71), torcedor da Portuguesa, gravaram depoimentos sobre seus times de coração para campanha da rede Globo de divulgação do Campeonato Paulista de 2012. A emissora irá veicular nos intervalos da sua programação cinco filmes dos artistas, com 30 segundos cada, onde eles contam histórias marcantes que seus clubes lhe proporcionaram.

Para Vilhena, o gol de Neymar (19) na final do campeonato de 2010, que deu o título paulista ao Santos, foi inesquecível para ele. O ator, que no filme faz uma brincadeira com o nome do craque chamando-o de “Neymágico”, lembra do passe de letra de Ganso e da habilidade do atacante na finalização.

Apesar de ter apenas oito anos de idade em 1993, Jayme recorda com muita emoção da primeira final do Paulistão que assistiu no estádio do Morumbi, com um público de cerca de cem mil pessoas. Evair, Edmundo, Zinho... Só tinha craque naquele time do Palmeiras”.

Já Julio Rocha, que interpreta o Enzo em Fina Estampa, fala do momento de “gênio” do camisa nove Ronaldo (35) ao marcar um golaço na final de 2009 diante do Santos, em plena Vila Belmiro. Além de rasgar elogios ao maior artilheiro das Copas do Mundo, ele também beija a camisa do Corinthians durante a filmagem.

Tato Gabus Mendes fez questão de se lembrar do retorno de Raí (46) ao São Paulo, no campeonato estadual de 1998. “’O Príncipe de Paris’ voltou na final e ainda marcou um gol de cabeça contra o Corinthians, garantindo o título ao São Paulo. Não dá para esquecer isso”, destaca.

Mesmo com apenas 11 anos de idade, o jogo entre Portuguesa e Corinthians em 1951 foi inesquecível para o maestro João Carlos Martins. Ele assistiu aos sete gols da Lusa da arquibancada do Pacaembu, decretando pacto de amor eterno ao clube paulista: “Eu disse para mim mesmo: é o time da minha vida, para o resto da minha vida!”, conta.