Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Poético ‘sim’ de Maurício e Kay, herdeira de Carlos Lyra e Kate

Ícone da bossa nova abençoa à distância a união da cantora e do músico em romântica cerimônia na catedral de St. Patrick

CARAS Publicado em 01/10/2013, às 18h58 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Kay Lyra e Maurício Maestro - Jayme De Carvalho Jr.
Kay Lyra e Maurício Maestro - Jayme De Carvalho Jr.

Dizem que só é possível entender o sentido de uma música na última nota, mas as canções que há 11 anos embalam o amor da cantora Kay Lyra (39) e do músico e produtor Maurício Maestro (61) ganharam nova estrofe. Em constante ponte-aérea NY-Rio, o casal oficializou a união em cerimônia na capela Romeu e Julieta da sacristia da catedral de St. Patrick, ícone da Big Apple. Além da mãe da noiva, a atriz Kate Lyra (64), outros 13 amigos, como o cantor panamenho Rubén Blades (65), presenciaram a bênção do padre Damian O’ Connell (70). 

Aclamada como um dos novos expoentes da Bossa Nova, Kay trocou o tradicional vestido branco por um clássico conjunto marrom de alfaiataria. “Estamos juntos há tantos anos, achei que essa roupa seria mais adequada. Mas usei as pérolas que eram da mãe do Maurício e a mantilha de renda que a minha madrinha usou há 50 anos”, justifica a noiva. Após a troca das alianças, que trazem a palavra “música” gravadas, o casal brindou com os convidados no apartamento dos padrinhos Helena Maria (70) e Richard Lim (78).

Pai da noiva, o cantor e compositor Carlos Lyra (74) se fez presente ao lado da atual mulher, a produtora Magda Botafogo (46), via Skype, do Brasil. Não demorou muito para Maurício pegar o violão, transformar a recepção em sarau e entoar sua Mistérios. Depois foi a vez de Kay encantar o integrante do grupo Boca Livre com Minha Namorada, de autoria de seu pai e Vinicius de Moraes (1913–1980). Carlos Lyra cantou Isabel, música que ele fez no nascimento da filha, e Kate puxou o coro em Makin’ Whoopee, popularizada por Ella Fitzgerald (1917–1996). “Foi um dia inesquecível, do jeito que imaginávamos”, resume Maurício.