Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Música / SUCESSO

Gloria Groove relembra início da carreira: ''Era somente um menino gay que cantava muito bem''

Com apenas 23 anos, a drag queen faz enorme sucesso com suas músicas e canal no YouTube

CARAS Digital Publicado em 30/11/2018, às 09h00 - Atualizado em 20/06/2019, às 21h26

Groove relembra início da carreira e fala sobre representatividade - Andrea Dallevo/Divulgação RedeTV!
Groove relembra início da carreira e fala sobre representatividade - Andrea Dallevo/Divulgação RedeTV!

Gloria Grooveé a convidada do programa Ritmo Brasil deste sábado, 1º de dezembro, na RedeTV!.

No sofá de Faa Morena, a cantora, de apenas 23 anos, fala sobre a voz que seu trabalho proporciona a toda comunidade LGBTQ+. “Represento uma parcela muito grande da população, pessoas que contam com a minha força e a minha representatividade. Então estou sempre pensando com cautela em uma nova forma de me comunicar, numa linguagem em que eu consiga ter fluidez no discurso, atingindo a todos sem esquecer de representar os meus”, afirma.

Os trabalhos anteriores à carreira profissional na música, como apresentações na igreja, atuações no teatro e dublagens, segundo a drag queen, foram fundamentais para seu amadurecimento profissional e sua atual fase. “Sinto como se tudo o que eu tivesse feito tivesse me preparado exatamente para o que estou fazendo agora. O que demorou para acontecer foi justamente esse momento de entender qual era a minha estrela, porque eu não conseguia ver. Até a chegada de um alter ego, eu era somente um menino gay que cantava muito bem”, compartilha Gloria, pontuando: “Quando eu me entendi enquanto drag queen e entendi que isso não influenciava no garoto que sou e continuo sendo, eu me libertei em muitos aspectos e consegui ter esse vislumbre do que eu podia ser”.

Sucesso na música e com um canal no YouTube que acumula milhões de visualizações, a cantora revela que depois de sua entrada no universo artístico enquanto drag queen, outros aspectos de sua vida passaram a se encaixar. “Não foi à toa que só depois de me ver no espelho como drag queen eu consegui começar a compor, de fato. Consegui me enxergar através de mim e descobrir que ser drag é muito menos sobre me esconder e muito mais sobre mostrar quem sou. Por isso digo que Gloria Groove não é um personagem, e sim o meu pseudônimo, o meu nome artístico. É sobre tudo o que acho bonito, legal, incrível e necessário”, finaliza.