Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Autópsia diz que Carrie Fisher tinha cocaína, heroína e ecstasy no corpo

Atriz também teria misturado substâncias com remédios prescritos por médico

CARAS Digital Publicado em 19/06/2017, às 14h24

Carrie Fisher - Getty Images
Carrie Fisher - Getty Images

A autópsia da atriz Carrie Fisher, que morreu aos 60 anos em dezembro, foi divulgada pela imprensa americana nesta segunda-feira, 19. O resultado pegou os fãs dela de surpresa, que acreditavam que Carrie tinha superado o vício em drogas. 

De acordo com os documentos, Fisher tinha cocaína, heroína, ecstasy e metadona em seu sistema sanguíneo no dia em que passou mal durante um voo, tendo óbito quatro dias depois. A causa da morte oficial é uma crise de apneia, com contribuição de uso de drogas. 

O assistente de Carrie, que estava no voo, disse que a atriz teve várias crises de apneia no avião. Quando chegaram ao destino final, ela não conseguia mais ser acordada. 

Os exames não determinam quando ela tinha ingerido as substâncias. A cocaína, por exemplo, poderia estar no corpo dela há algumas semanas. Carrie também tomava Prozac, Aripiprazol e Lamotrigina prescritos pelo seu médico para tratar do seu transtorno bipolar, e também tomava Oxicodona por conta própria.