Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

O treino dos campeões brasileiros no US Open

Incentivados pela adrenalina do esporte, time VIP volta às quadras onde disputou o Pro-AM Caras 2014

CARAS Publicado em 18/09/2014, às 15h39 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Patrícia Maldonado, Henri Castelli, Jessika Alves, Caio Castro, Kirmayr, Guilherme Arruda, Fernanda Pontes, Diogo Boni e Carlos Bonow, em NY. - Divulgação
Patrícia Maldonado, Henri Castelli, Jessika Alves, Caio Castro, Kirmayr, Guilherme Arruda, Fernanda Pontes, Diogo Boni e Carlos Bonow, em NY. - Divulgação

A adrenalina e o prazer da prática do esporte deram o tom dos dias em que o grupo de seletos famosos brasileiros participou do US Open 2014, no Billie Jean King National Tennis Center, em Flushing Meadows, New York. Depois da disputa em quadras, que sagrou Henri Castelli (36) campeão do Pro-AM CARAS 2014, e Diogo Boni (35) e Patrícia Maldonado (39), em segundo e terceiro lugares, respectivamente, os jogadores deram prosseguimento à prática já iniciada com ex-profissionais que participaram do torneio em uma clínica.

Com acompanhamento e as importantes dicas do treinador da USTAKirk Anderson (62), da ex-tenista Chanda Rubin (38) e de Karin Buchholz (50), os vencedores se juntaram a Caio Castro (25), Carlos Bonow (41), Jessika Alves (23), Fernanda Pontes (30) e Guilherme Arruda (39) para absorver ainda mais ensinamentos e dicas. “Posso dizer que os brasileiros são rápidos na forma de pensar, isso é ótimo para o tênis. Todas as instruções passadas por mim foram absorvidas com facilidade por cada um deles”, disse Kirk, apontando Gustavo Kuerten (38) como referência do País. “Os brasileiros são talentosos. Para mim, Guga é um dos que melhor representou o Brasil. É especial”, comentou o especialista em coaching, acompanhado de Henri, que também tem o ex-tenista brasileiro como ídolo do esporte.

“Uma pena ele ter se machucado tão novo. Poderia ter jogado mais”, refletiu, ao comemorar sua vitória. Feliz com a oportunidade de estar em um local considerado sagrado para os apaixonados por tênis, Bonow apontou os grandes ídolos do esporte como triunfo nos dias em que esteve em NY. “Essa ideia é maravilhosa. Bater bola com grandes nomes do tênis como o Kirmayr é um presente”, analisou o ator, citando o ex-tenista e treinador dos famosos Carlos Alberto Kirmayr (63), que também deu preciosas dicas ao grupo.

“Tênis faz bem não só à saúde, mas também para a mente. Quando a gente começa, não quer mais parar. Vendo isso acontecer aqui, fico feliz em poder estar mais um ano nas quadras do US Open”, concluiu o mestre, que mantém centro de treinamento em Serra Negra, interior de SP.

*Fotos: Cadu Pilotto, Fernando Lemos/Lemos fotografiA, Selmy Yassuda/Artemísia fot. e com. e Martin Gurfein