Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Xuxa fala sobre pedidos de ajuda a Russo: "Eu já ajudei muito"

Em conversa com fãs, Xuxa comenta os pedidos de ajuda que vem recebendo para Russo, ex-assistente de palco da emissora: "Desculpe, mas eu já ajudei muito, pergunte a ele", afirmou

CARAS Digital Publicado em 25/06/2014, às 10h23 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Xuxa - AgNews/Foto Rio News
Xuxa - AgNews/Foto Rio News

Em conversa com seus fãs no Facebook nesta terça-feira, 24, Xuxa resolveu se pronunciar sobre os pedidos que vem recebendo nas redes sociais para que ajude Russo, assistente de palco da Globo que se aposentou recentemente após quase 50 anos de trabalho.

"Xuxa, o Russo está precisando de ajuda, por quê você não ajuda ele? Eu acho que ele merece. Fica a dica", comentou uma fã da apresentadora.

+ "Ele acha que esqueceram dele", diz mulher de Russo

"Desc, mas eu já ajudei muito, pergunte a ele", respondeu Xuxa, que recebeu o apoio de diversos fãs. "Boa Xu, as pessoas tem a triste mania de julgar sem saber", comentou um outro fã. "Gente, a Xuxa não é mãe de todo mundo. Russo se aposentou, como todo mundo. A vida útil de trabalho tem limite... Af!", apoiou outra.

Entenda o caso

Antonio Pedro de Souza e Silva, o Russo,  ficou triste em ler as notícias sobre sua aposentadoria. O ex-funcionário da emissora tem dado entrevistas afirmando que se sente esquecido por alguns colegas da emissora e que, apesar da idade avançada, ainda luta para comprar a casa própria.

+ Assistente de palco Russo deixa a Globo após 46 anos

Em entrevista à CARAS Digital, Adriana Mello, mulher de Russo, afirmou que ele vem recebendo suporte da Globo. “A Globo está ajudando. Eles continuaram nosso plano de saúde por cinco anos. Ajudaram com uma parte financeira pra ver se a gente consegue comprar uma casa, porque a gente mora de aluguel, e agora vamos correr atrás. Eles falaram que se ele precisar de alguma coisa, psicólogo, ou carro, estão a disposição”, disse, acrescentando que o marido gostaria de voltar a trabalhar. “Eu evito até que ele vá lá para passear, porque é sacrificante. Hoje em dia ele não tem mais crachá. Para quem trabalhou lá 46 anos, acho que para ele é humilhante ter que pedir autorização pra entrar”, opina.