Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS

Entre amigos famosos, Ronaldo participa de amistoso de golfe em São Paulo

Amantes do golfe, Marcos Pasquim, Rubens Barrichello, Ronaldo Nazário e Popó Bueno fazem belas jogadas no 59º Aberto do Brasil de Golfe

Redação Publicado em 16/10/2012, às 17h31 - Atualizado em 17/10/2012, às 01h48

Rubinho, Pasquim e Ronaldo prontos para o jogo. - Margarethe Abussamra
Rubinho, Pasquim e Ronaldo prontos para o jogo. - Margarethe Abussamra

Sol brilhando e gramado impecável. Cenário perfeito para jogo de golfe entre os amigos Marcos Pasquim (43), Rubens Barrichello (40), Ronaldo Nazário (36) e Popó Bueno (34). Feras do green, eles foram convidados para amistoso em equipes ao lado de profissionais, antes do início do 59º Aberto do Brasil de Golfe, em Cotia, Grande SP. “Aceitei na hora. Com um profissional na equipe, a gente observa técnica, tática, e usa isso para melhorar o jogo”, diz Rubinho, dedicado golfista há mais de dez anos.

Competindo hoje na Fórmula Indy, ele se prepara para a estreia na Stock Car, em dezembro. “A princípio, vou participar só da Prova do Milhão, com a caridade em mente. Tudo o que ganhar será doado ao meu instituto”, fala, citando o Instituto Barrichello Kanaan. Piloto experiente da Stock Car, Popó festeja a possibilidade de correr ao lado do ídolo. “Todo mundo é amigo do Rubinho, temos muita admiração pelo o que ele representou para o Brasil na Fórmula 1”, diz ele.

Mais livre após o fim de Cheias de Charme, Pasquim se esforçou para seguir o ritmo da equipe. “Des de que entrei na novela, há dois meses, não joguei mais. E golfe é esporte que você tem de praticar o tempo todo. Perdi a mão e fui mal hoje”, exagera. Com tacadas mais afinadas, o eterno craque Ronaldo continua a empreitada para perder peso e, como fez na última partida, percorreu o green à pé. No almoço, salada e suco, para cumprir o desafio do Medida Certa, do Fantástico, de eliminar 18kg. “Comecei no golfe ao sofrer lesão no joelho, em 2000. Enquanto me recuperava, fiquei em hotel na França com um campo ótimo. Jogava todo dia e tomei gosto. Só não conseguia jogar muito na época em que estava no Corinthians. Mas agora consigo praticar e aprimoro as tacadas.”