Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS

'Sou um dependente do ser mulher', diz Tom Cavalcante

No dia internacional da mulher, Tom Cavalcante fala à CARAS Online sobre a figura feminina e sobre as mulheres que mais admira

Redação Publicado em 08/03/2012, às 12h30 - Atualizado às 12h37

Tom Cavalcante não quis continuar na Record - Arquivo
Tom Cavalcante não quis continuar na Record - Arquivo

Sem dúvidas, Tom Cavalcante (50) é um grande admirador das mulheres. Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher e dia de seu aniversário, o humorista, que já interpretou diversas mulheres no teatro e na televisão, abriu seu coração em entrevista exclusiva à CARAS Online para falar sobre a figura feminina, em especial a mulher, Patricia (35) e as filhas Maria Antônia (11) e Ivete (26) – fruto de um relacionamento anterior.

“Quando a oração fala ‘bendito sois vós entre as mulheres’, me sinto um privilegiado. Sou um dependente do ser mulher, dependente do seu amor, das suas broncas, da sua sinceridade, da sua lealdade, da sua companhia. As mulheres da minha vida são Patricia, minha mulher, minhas filhas Ivete e Maria e, lá no céu a me iluminar, minha amada mãe”, disse Tom.

Além das mulheres de sua família, o humorista fez questão de demonstrar seu carinho por algumas colegas de profissão e pela mulher brasileira. “Sou fã e admirado de muitas mulheres, mas vou citar cinco figuras bem brasileiras. Hebe Camargo (83) por seu talento e papel preponderante na emancipação da mulher brasileira. Fernanda Montenegro (82) e sua genialidade, Bibi Ferreira (89) e sua encantadora obra e presidente Dilma (64) pela grata surpresa de ser uma mulher que tem cumprido com discriminação a liturgia do cargo. Por último a anônima mulher brasileira, que tem a capacidade de se reinventar para continuar na luta desigual”. E acrescentou, revelando seu exemplo de mulher guerreira: “Lembro da ativista cubana Yoani Sanchez (36), que pede por liberdade, e Shirin Ebadi (64), que ganhou o Prêmio Nobel em 2003. Acho demais ela levantarem a voz em meio à repressão”.

Tom ainda mostrou seu carinho através de um recado para as mulheres. “Quero dedicar meu carinho e apoio nesta data a todas as mulheres que se encontram convalescendo nos leitos de hospitais em busca do seu pronto restabelecimento. Para elas nossas orações e a mensagem para que não se fragilizem. Confiem em si, vocês podem e irão vencer”, finalizou.

Parabéns para todas as mulheres!