Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Paulo Rocha: o novo galã português

Famoso em Portugal, o ator estreia em Fina Estampa seu primeiro personagem em uma novela brasileira

Redação Publicado em 21/08/2011, às 13h18 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

O galã português Paulo Rocha - TV Globo/Alex Carvalho
O galã português Paulo Rocha - TV Globo/Alex Carvalho

Paulo Rocha (34) é um ator desconhecido no Brasil, mas em Portugal, sua terra natal, seu rosto é bem popular entre o público. Lá, ele é um famoso galã de novelas com 12 trabalhos no currículo. Mas o anonimato do ator português está prestes a acabar também por aqui nesta segunda-feira, 22, com a estreia de Fina Estampa.

Na nova trama das nove ele será Guaracy, um bem-humorado e romântico dono de bar que sonha em conquistar Griselda, a protagonista interpretada por Lília Cabral (54). O personagem foi escrito pelo autor Aguinaldo Silva (67) especialmente para ele. “Neste momento estou preocupado em entregar um bom trabalho, estabelecer bem a relação do meu personagem com os dos colegas. Estou curioso”, disse o ator ao site da novela. O que chamou atenção do ator no personagem foi a sensibilidade de Guaracy. “A sensibilidade de ver a verdadeira mulher por trás do que a Griselda criou. E deixar se apaixonar por aquela mulher extraordinária por trás do macacão, do boné e das ferramentas”, conta.

Vida de carioca

Para dar vida a Guaracy, Paulo se mudou há pouco mais de um mês para o Rio de Janeiro. E ele já contou que quer uma rotina mais parecida possível com a dos moradores. “Vou tentar levar a vida mais normal possível. Quero tentar conhecer o Rio de uma forma mais local, ir nos lugares onde vão os cariocas, não aonde vão os gringos, como vocês dizem aqui”, explica.

Apesar de estar pela primeira vez no Brasil, ele conta que já é familiarizado com a cultura do país. Solteiro, ele já namorou uma brasileira. “Já bebi muita caipirinha”, brinca. As tramas brasileiras também fizeram história na vida do português. “Roque Santeiro, Pedra sobre Pedra e Tieta foram novelas que fizeram parte da minha infância e da minha juventude”.