Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Mulheres à frente de seu tempo em minissérie na Record

Mulheres são destaque na minissérie 'O Rei Davi', que estreia dia 24 de janeiro, na Rede Record

Redação Publicado em 12/01/2012, às 17h57 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Renata Dominguez e Maria Ribeiro - Clayton Militão / Photo Rio News
Renata Dominguez e Maria Ribeiro - Clayton Militão / Photo Rio News

As mulheres vão ocupar um lugar de destaque na telinha da Record, com a estreia da minissérie O Rei Davi no próximo dia 24. Nesta quinta-feira, 12, a emissora convocou a imprensa para apresentar o novo trabalho, que terá como personagens femininas principais: Renata Dominguez (31) e Maria Ribeiro (37).

Renata será a segunda mulher do Rei Davi, Bate-Seba. Na coletiva de imprensa, a atriz, que é casada com o diretor Edson Spinello (50), disse que a personagem mudou a sua vida. “Renovou a minha fé, com certeza. A história serviu de exemplo para mim e está vindo em muito boa hora. Me identifiquei com ela e espero que o público também se identifique e que sirva de exemplo. Porque estamos vivendo em um mundo muito complicado, sem referências, sem limites. Então, de repente, uma história assim, de se regenerar e de fé, serve de inspiração para muita gente”, afirmou.

A atriz também elegeu sua cena mais difícil. “A cena em que ela perde o filho foi a mais difícil da minha vida. Foi muito complicado pra mim. De uma maneira geral, a história da Bate-Seba é muito tensa, tem muito sofrimento envolvido. Essa cena marcou muito para mim. Eu não sou mãe ainda, mas tive que extrair de dentro de mim elementos que trouxessem essa mãe à tona. E não foi nada fácil. A cena acabou e eu terminei no chão, soluçando de chorar e querendo morrer”, finalizou.

Já Maria Ribeiro, que vai interpretar Mical, a primeira mulher do Rei, fez questão de defender a sua personagem. “Eu não acho que ela seja ruim, só que ela age erradamente, tem uma ética torta. Mas, ela não consegue dar a volta”, comentou.