Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Cissa Guimarães expõe seu coração

Dilacerada pela morte do caçula, ela se comove em homenagem

Redação Publicado em 04/08/2010, às 10h06 - Atualizado às 10h10

A atriz escreve mensagem de amor para o filho na parede do Túnel Acústico, onde ele foi atropelado em 20 de julho. - GIL RODRIGUES
A atriz escreve mensagem de amor para o filho na parede do Túnel Acústico, onde ele foi atropelado em 20 de julho. - GIL RODRIGUES
Em vez de automóveis, os amigos. No lugar de faróis, flashes; e das buzinas, música. O Túnel Acústico, na Gávea, Rio, onde o estudante Rafael Mascarenhas morreu atropelado na terça, 20 de julho, virou palco de uma grande e comovente homenagem ao jovem, com a participação de seus pais, a atriz Cissa Guimarães (53) e o saxofonista Raul Mascarenhas (57). Interditado pela prefeitura durante a madrugada, o local foi decorado com desenhos em grafite, faixas e uma foto de Rafael, que tinha 18 anos. E se transformou em um ponto de encontro de seus familiares e amigos com direito à show, memórias divertidas e muita emoção. O momento mais marcante foi protagonizado por Cissa. Após desenhar um coração com o nome do caçula, a atriz conseguiu, enfim, esboçar um sorriso de ternura. "Sou a mãe do Rafael. Ele vai estar iluminando e protegendo a gente. Sou tão feliz e agradecida por ter tido meu filho... Muito obrigada, Rafa", disse Cissa, que tirou fotos e citou as manifestações de carinho que vem recebendo. "Eu agradeço por ele. Tive a sorte de ter um anjo. Tudo aqui é para meu filho e não para mim. Quero que todos saibam que Rafa está abençoando esse momento lindo. Eu sou a mãe do Rafael e vou voltar a sorrir", prometeu ela, que prorrogou para a quinta, 5 de agosto, sua volta aos palcos na comédia Doidas e Santas, no Teatro do Leblon. Apaixonado por skate e por música, Rafael foi lembrado através de muitas manobras radicais e canções. Raul Mascarenhas tocou a composição Oin, feita para o filho. "Quando ele era pequeno, não sabia falar o nome do saxofone e o chamava de oin", explicou ele, acompanhado pelo grupo The Good Fellas Band, do qual o jovem era vocalista e guitarrista. "Ele se foi, mas deixou o amor. Foi embora, mas deixou essa homenagem linda. É contraditório dizer que, apesar de toda a tristeza, fiquei feliz vendo o que acontece aqui. Quero que justiça seja feita e que a morte do meu filho não seja em vão", desabafou Raul. Os irmãos de Rafael, Thomaz (31) e João Velho (26), da relação de Cissa com Paulo César Pereio (69), também participaram da manifestação, que reuniu mais de cem pessoas. "O Rafa era a cara do Rio. Então, nada mais justo que esse túnel passe a ter o nome dele. Ainda é uma ideia dos amigos, mas nossa família vai apoiar no que for preciso. Eu, meu irmão e minha mãe não precisamos fazer mais nada porque muita gente que gosta dele está disposta a ajudar. Nesse momento, sinto que Rafa está aqui", disse João, que vestia uma blusa com os dizeres Rafiusk Eterno, em referência a um dos apelidos do jovem.