Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A superação comove Beth Carvalho

Ela perde 10 kg e volta aos palcos após passar um ano e meio de cama

Redação Publicado em 15/02/2011, às 15h21 - Atualizado em 18/02/2011, às 17h58

Na sala de seu apartamento, no Rio, a cantora ensaia com o cavaquinho para voltar a cantar profissionalmente no sábado, 19, após cirurgia na coluna. - CADU PILOTO
Na sala de seu apartamento, no Rio, a cantora ensaia com o cavaquinho para voltar a cantar profissionalmente no sábado, 19, após cirurgia na coluna. - CADU PILOTO
Para Beth Carvalho (64), o momento é de celebração por estar dando a volta por cima. Depois de passar um ano e meio de cama após cirurgia para tratar de uma fissura do sacro, em decorrência de artrose no fêmur, que a fazia mancar, a cantora quer deixar para trás as recordações e o drama que viveu. "Foi uma grande superação, sentia dor, mas não desisti porque amo este mundo e compartilhar os dias com pessoas tão especiais. Até roda de pagode fizeram no meu quarto", conta Beth, em seu apartamento, em São Conrado, Rio, emocionada com o apoio dos amigos, dos fãs e da filha, Luana (30), da relação com o ex-jogador de futebol Edson de Souza Barbosa. Visivelmente mais magra, por causa das sessões de fisioterapia e da alimentação balanceada, ela garante que se sente bem melhor com as medidas atuais. Perdeu dez quilos e atualmente, pesa 76 quilos em 1m60. "Era sem-vergonhice minha ficar sem fazer exercício. Daqui para frente vou procurar manter a rotina saudável que tenho levado", promete a carioca, que planeja perder mais dez quilos nas próximas semanas. "Quem sabe volto a malhar? Depois de tudo o que vivi, nada mais é impossível", gargalha ela, enquanto bebe uma pequena xícara de café e come dois biscoitos no seu lanche da tarde. "Sem exagerar, pode. Comer muito e na hora errada é que não é bom", ensina. Sem grandes dificuldades, a cantora já consegue ficar em pé e evita a ajuda das enfermeiras ao caminhar pela sala. São raros os momentos em que solicita a cadeira de rodas para se locomover. Um grande avanço, já que, durante os primeiros cinco meses do tratamento, ela não conseguia sequer se sentar. "Essa fase já passou", comemora, com os olhos marejados. Radiante com a evolução, Beth se sente preparada para voltar aos palcos. O primeiro show será no sábado, 19, no Sesc Rio Noites Cariocas. "Estava contando os dias para ter forças e encarar essa maratona. É preciso energia. Finalmente, estou cheia de gás para realizar muitos projetos ainda", afirma ela, um ícone do samba. - Você está ansiosa para voltar a cantar? - Muito, por isso minha insônia (risos). Fico idealizando o repertório, que será de grandes sucessos, e o reencontro com os músicos. Também me pego pensando na roupa que usarei no dia. Vestirei um modelo prata da minha última apresentação, em 2008/2009. - Terá que apertar o vestido... - É verdade (risos). Nada melhor do que você ficar no seu peso. Ainda não cheguei ao meu ideal, mas, de fato, me sinto mais leve. Daqui a pouco tempo, voltarei a usar calça jeans. É só continuar me exercitando. Antigamente, malhava praticamente todos os dias da semana. Quando parei, por causa do trabalho, acreditei que o meu corpo ficaria exatamente igual. Eu me enganei redondamente. - Esse seu visual mais afinado lhe trouxe felicidade? - Sim, mas quero mais. Sabe, não percebi que estava engordando tanto. Quando vi, já tinha 20 quilos a mais. Me sentia obviamente mais pesada. - Agora se sente mais bonita? - Como falei, me sinto disposta. Meu açúcar também não estava bom e resolvi cortar o chocolate. Acho que deu uma desintoxicada e me fez perder peso. - Então está estimulada a voltar à academia? - Não quero ficar prometendo. Até porque também não sei quando serei liberada pelos médicos para isso. Mas esses são meus planos. Sei que não posso continuar com o mesmo estilo de vida de antes, sedentário. - O seu tratamento é basicamente a fisioterapia? - É, mas tomo alguns remédios. Parando para refletir, não sei de onde tirei o bom humor e tanta paciência para esse processo. - Reavaliou a vida nesse tempo em que ficou de cama? - Olhei para o teto, literalmente. Mas como sou uma pessoa intensa, não fiquei remoendo o que passou porque fiz muita coisa. Porém, continuo pensando no futuro, como por exemplo, no meu novo CD, Brasileiríssima. Também quero tentar conciliar a produção dele com os shows. Depois que voltei a aparecer na mídia, choveram telefonemas no escritório com pedidos de apresentações. - Chegou a ficar deprimida? - Por incrível que pareça, não. Gosto de viver. Sofri muito, teve um momento que não podiam colocar um lençol em cima de mim porque doía. Chorei bastante, mas não me entreguei em nenhum minuto. Acho que as pessoas próximas me ajudaram a reagir assim. Chegou a ter festa na minha casa. - Como assim? - Os meus amigos e familiares comemoraram o meu aniversário no meu quarto. Fizemos o Natal e o réveillon também. Tudo é possível quando se tem amor. - Como avalia o seu estado de saúde atual? - Estou 95%. Falta tomar banho sozinha. Mas já fui ao ensaio do show e estou dirigindo. Quando voltei a pegar no carro, me deu uma sensação de liberdade maravilhosa. - E o que sentiu quando conseguiu andar novamente? - É emocionante me ver independente como sempre fui. - A Mangueira pode esperá-la para o carnaval? - Claro. Desfilarei em um carro alegórico, sentada. Estarei lá com a verde-e-rosa. Carnaval é um dos momentos do ano mais lindos para mim, não quero perder por nada. Já chega esse tempo que fiquei na cama de molho. - Ainda sente dor? - Sinto porque tenho artrose. Ainda vou ter que passar por uma nova cirurgia, mas não agora. Por enquanto, chega de hospital. Quero retomar com a minha vida para depois pensar nisso. - Se apegou à religião nesses últimos meses? - Agradeci muito a Deus por estar viva e a todos que estiveram comigo, como as minhas enfermeiras. Nas horas mais difíceis é que percebemos quem são os nossos fiéis escudeiros. - Está pronta para recomeçar? - Prontíssima, não tenho a menor dúvida. Sou uma mulher feliz e voltarei a realizar o que mais amo fazer, que é cantar.