Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Revelação

Ana Hickmann: Tudo o que ela falou no Domingo Espetacular

No programa Domingo Espetacular, Ana Hickmann revelou detalhes da agressão que sofreu de Alexandre Correa há duas semanas e os próximos passos em sua vida pessoal

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 26/11/2023, às 22h28 - Atualizado às 23h58

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Ana Hickmann no programa Domingo Espetacular - Foto: Reprodução / Record TV
Ana Hickmann no programa Domingo Espetacular - Foto: Reprodução / Record TV

A apresentadora Ana Hickmann abriu o coração sobre a denúncia de agressão que fez contra o seu ex-marido, o empresário Alexandre Correa, durante entrevista ao programa Domingo Espetacular, da Record TV. Cerca de duas semanas após o ocorrido, ela contou detalhes sobre o que aconteceu na casa deles em Itu, no interior de São Paulo, como está se sentindo, a decisão de fazer o boletim de ocorrência na delegacia e a separação.  

Na entrevista, Ana Hickmann confirmou que foi vítima de violência doméstica no dia 11 de novembro de 2023, em sua casa em Itu. A apresentadora Carolina Ferraz perguntou o que aconteceu e Ana relatou tudo. "Difícil reviver algumas coisas, mas agora dá para falar sem chorar, já chorei muito, já gastei todo o meu estoque de lágrimas. Eu não achei que iria ter uma montanha russa de emoções. Minha vida tem sido de provações há bastante tempo. Naquele dia 11, sábado, eu estava tendo uma conversa com meu filho na cozinha sobre algumas mudanças que aconteceriam na nossa vida com relação a nossa casa, coisas que ele está acostumado. A gente sempre teve uma conversa aberta. Por causa dessa conversa e outras coisas que aconteceram antes, eu comecei a ser achincalhada pelo Alexandre. Começamos com a briga verbal e terminou do jeito como o Brasil descobriu", disse ela. 

Ao ser questionada se houve agressão, ela confirmou. "Sim", afirmou. Então, ela disse que o filho não viu quando o pai fechou a porta no braço da mãe. "Na hora que ele fechou a porta no meu braço, não, mas antes sim", disse ela, e deu mais detalhes daquela tarde. "Nós começamos a discutir. Ele começou a reclamar que eu não tinha o direito de falar assim com nosso filho. Que eu era louca e tinha que parar de traumatizar o menino. Eu falava: 'A gente precisa prepara o Alezinho porque as coisas vão mudar, mais cedo ou mais tarde mudanças acontecerão e eu não quero que ele sofra'. Por esse motivo de admitir os problemas, que ele não gostou. A briga começou a ficar mais acalorada. Nessa, o Alezinho pediu para parar, parem de gritar. Não foi a primeira briga verbal que tivemos. Então, o Alezinho corre pra piscina. O Alexandre vai atrás dele dizendo: 'sua mãe está mentindo, ela é louca'. 'Para de mentir para o nosso filho, para de mentir para mim' [disse Ana]. O negócio começou a esquentar. Eu pedi para a pessoa que trabalha lá em casa levar o Alezinho para a parte de trás da casa", explicou. 

"Tem o anexo, e o Alezinho foi levado para lá. A briga continuou, me chamando de louca, que eu estava descompensada. 'Você vai me bater?' Quando eu falei isso, a feição dele mudou completamente, ele veio sim para me dar uma cabeçada. 'Se você vier para cima de mim, eu vou chamar a polícia'. Falei, uma, duas, três vezes. Ele veio me abraçar. Quando ele estava perdendo na conversa, ele vinha e me agarrava com força. Ele começou a perder o controle mais ainda. Eu comecei a gritar muito: 'Socorro, chama a polícia, 190!'. Nessa, eu consegui me desvencilhar dele. Fiquei com medo dele, eu tentava fechar a porta e ele tentando manter aberta. Ele fecha a porta na parte do meu cotovelo, acho que estava com a adrenalina e eu não senti dor. Os meus cachorros estavam atrás de mim e latindo muito. Eu gritei 'pega' e o Joaquim [cachorro] pegou. O meu cachorro voou para cima dele e eu fechei a porta, as janelas. Quando eu sentei na mesa, o meu abraço já estava muito inchado", afirmou ela, que pegou o celular e ligou para a polícia. 

"Eu liguei 190, foram 3 toques e a policial atendeu. Ainda bem que existe o 190, porque se eu não tivesse ligado, ele teria entrado na cozinha e eu não sei o que teria acontecido", afirmou. 

Ana Hickmann contou que tentou terminar o casamento em outras ocasiões

Ana Hickmann contou que esta não foi a primeira vez que pensou em se separar de Alexandre Correa. "Eu tentei me livrar da relação algumas vezes. As pessoas que estão ao meu redor diziam: 'ele está só te protegendo'. Ele sempre teve o temperamento muito difícil. Preconceituoso pra caramba. Eu acabei me acostumando a ouvir muitas coisas, mas no final do ano passado começou a ficar pior", relembrou. 

Então, ela começou a perceber que o marido escondia algo dela. "Eu fui tentar entender o que estava rolando, mas ele não deixava transparecer o que era. Eu preciso saber o que estava acontecendo. Foi onde eu comecei a me deparar com grandes mentiras. Mas ele falava que estava tudo bem", disse ela. Ana disse que existem dívidas de sua família, mas que não sabe qual é o valor total da dívida porque ainda está investigando tudo. "Ainda não cheguei tão fundo", afirmou. 

Ela contou que eles sempre dividiram muito bem o papel de cada um nos negócios. Alexandre cuidava da administração e do financeiro, enquanto Ana era a responsável pela imagem e o marketing. "Nós éramos um casal que construímos do zero tudo isso. Eu morria de orgulho de tudo isso. Eu me acostumei a dizer que é o jeito dele. Eu comecei a ver que não tinha mais amor ali. Era tudo um grande negócio. Ele está fazendo isso tudo para proteger vocês, era isso que eu tinha ao meu redor. Eu sempre fui uma mulher muito forte, mas ao mesmo tempo, eu dizia categoricamente, o único em quem eu confio é nele", contou. 

Ana ainda contou que Alexandre a ofendia com críticas ao seu corpo e sua beleza. "Por que não está se cuidando, você está gorda. Ninguém quer uma Ana Hickmann velha e gorda. Ele controlava a minha agenda para qualquer coisa, ele determinava o dia da academia, do médico. Ele estava me perseguindo para a parte de cirurgia plástica", afirmou ela, que deu um basta nisso e decidiu parar de dormir no mesmo quarto que ele. "Chega, eu não sou um objeto. Marido e mulher aqui não existe mais. Tirei ele do meu quarto, tirei a aliança da minha mão. Achei que iam receber, mas ninguém percebeu"

"Ele tinha o dom muito grande de me fazer sentir uma m*rda. Pela imprensa foi quando eu tive a certeza de que tinha muita mentira. Para de mentir para o nosso filho e para mim, eu não aguento mais isso. Pelo amor de deus, fala a verdade. Foi assim que tudo aconteceu", relembrou. 

Ela acusa o ex-marido de mentir

Ana Hickmann contou que Alexandre Correa não era sincero com ela sobre os rumos dos negócios e que escondeu algumas coisas. "Dias antes eu achei coisas no escritório, ele não sabia que eu ia chegar mais cedo. Quando aquilo saiu, me machucou muito. Eu construí isso tudo e nunca devi nada para ninguém. E agora estou devendo para banco? Não é vergonha vender casa e apartamento. E eu comecei a achar mais coisa e foi ai que ele não gostou. Eu ainda não posso entrar em detalhes, o que eu posso dizer é que na quinta-feira que antecedeu a agressão na minha casa, eu encontrei documentos, cheques, muita coisa. Algumas, quando eu olhei, eu não consegui identificar para que serviam, se eram licitas ou ilícitas, assinaturas que eu tenho certeza que não são minhas, valores, que se passou por aqui, por que tudo isso esta acontecendo? Quando eu questionei, o que é isso? Você não me explicar? Foi a primeira vez que ele começou a ficar muito agressivo comigo", revelou. 

"Naquele sábado, acho que foi aquela ligação que foi algo que eu já tinha prometido para mim mesma que se um dia acontecesse comigo o que aconteceu com a minha mãe, eu não deixaria ir adiante. Aquilo foi o pontapé inicial para muita coisa ruim acontecer. Existe uma grande investigação de fraude, desvio e falsidade ideológica. E eu tenho que esperar para saber o tamanho disso tudo", afirmou. 

A apresentadora contou que não teve o apoio que esperava das pessoas ao seu redor. "Quando eu comecei a perceber que não era o certo, e trazia isso para as pessoas que eu achava que podia confiar, diziam: o Alexandre é assim, não briga com ele, ele está estressado. Eu também estou cansada e estressada, e não significa que posso maltratar as pessoas ao meu redor. Quando a primeira nota saiu, ele tentou esconder de todo jeito. Foi de um banco, na sequência vieram outros. Naquela semana que eu fui buscar mais informações dentro do escritório, ele começou a mentir cada vez mais e eu comecei a abrir as gavetas. Eu vi que meu problema não era só dívida de banco. Tinha muito mais, de outra natureza, e isso me faz ter bastante medo", contou. 

Ela ainda lembrou que pediu orientação para uma amiga. "Naquele sábado, tipo umas duas horas antes, eu acordei mal, com aquilo que estava acontecendo e eu sabia que tinha que conversar com o Alezinho. Eu liguei para uma amiga minha, que é dessa área administrativa e financeira: 'quero que bata o olho para me dar um suporte, me ajude a interpretar porque eu não consegui entender'. Ele não sabia dessa ligação, ainda bem. Se ele tivesse noção, teria sido pior", contou.

Então, ela disse que achou que estava em uma fase mais tranquila de sua vida financeira e emocional. "Eu achei que tinha chegado em um momento da minha história que estava bem financeiramente, patrimônio, meu filho maravilhoso, não vou precisar fazer tudo o que fiz na minha vida. Construí isso tudo, agora vou poder viver o que sempre sonhei. Vou poder trazer a minha família para perto, por mais que ele tentasse tirar todo mundo de perto de mim, é uma das coisas mais especiais para mim e não vou perder nunca"

Ana Hickmann diz que sua mãe foi vítima de agressões do seu pai

Ana Hickmann contou que seu pai era agressivo com sua mãe e que por isso ele nunca apareceu ao seu lado publicamente depois que ficou famosa. Ela disse que teve que socorrer a mãe em vários momentos após ela ter sido agredida pelo pai. "Meu pai nunca apareceu do meu lado, porque meu pai era um agressor. Meu pai bateu muito na minha mãe. Eu carreguei a minha mãe algumas vezes para o hospital. Nenhum homem me tocaria para fazer isso. Eu me permiti ser ferida e abusada de outra forma. Eu sou uma menina de interior, eu sou a mais velha de casa. A mais velha de quatro irmãos, era muito difícil quando criança ter todo mundo falando que meu pai era cruel e ruim. Até um dia que eu cheguei para o meu avo e falei, não fala mais isso para mim porque machuca. Eu prometi para a minha mãe que nunca tocaria nesse assunto porque machuca ela demais. Era respeito por ela. Ela se sentia envergonhada porque ela foi usada. Ela só parou de aceitar os abusos quando eu estava com 13 anos, fiz a mochila para meus irmãos e fui para a casa da minha avó com meus irmãos. Peguei todo mundo e fui embora, falei que não ia mais voltar para casa porque a gente não mais passar por aquilo. Foi ali que ela tomou coragem e tirou ela de casa, mas a violência não parou", relembrou. 

Ana Hickmann ainda contou que o pai ficou agressivo após conquistar uma estabilidade financeira. "Ele se transformou em um cara que eu não conhecia, bem agressivo, por qualquer coisa ele espancava a minha mãe, quebrava tudo dentro de casa, a minha mãe descobriu traições. Ele torturava a gente dentro de casa. Essa marca que eu tenho na minha mão... Ele voou para cima da minha mãe, abriu a cabeça dela, e eu vooei para cima dele e ele me arremessou. Ele era um cara grande e forte. Do jeito que eu cai em cima da mesa, aquilo estilhaçou comigo em cima. A única coisa que cortou foi a minha mão. Ele só parou de bater na minha mãe quando me viu sangrando", declarou. 

Ela contou que decidiu começar a trabalhar cedo para ajudar sua mãe. "Esse foi o motivo para eu sair tão cedo de casa, eu precisava ajuda-la a criar meus irmãos e trazer dinheiro para a mesa", afirmou. Então, ela disse como foi contar para a mãe que também tinha sido vítima de agressão. "Naquele sábado, ela esteve comigo em casa. Até então para ela, ele era um genro perfeito, que protegia todo mundo. Eu falei, mãe eu não posso repetir o que a senhora fez". 

Ana Hickmann aconselha as fãs a não aceitarem ofensas dos maridos

Ana Hickmann disse que ouvia palavras ofensivas do ex-marido. "Isso não é brincadeira, isso não é elogio. Se o cara que fala que te ama, olhar para você e falar: você está gorda né? E falava para outras mulheres também, isso não pode. Isso foi me consumindo e me colocando em uma situação muito desconfortável. Família para mim sempre foi a coisa mais importante dessa vida. Quando eu percebi que as coisas estavam erradas, eu não hesitei em pedir ajuda. Hoje eu entendo o que muitas mulheres passaram e vão passar, entendi porque muitas vão na delegacia e prestam queixa, mas depois voltam atrás. Não é só por medo do agressor, é porque as pessoas te pedem para fazer isso. O que vão falar da Ana Hickmann? A gente não precisa ser mulher de malandro", afirmou. 

Apresentadora relembra ida à delegacia

Ana Hickmann relembrou a rotina intensa de trabalho que tinha sob a orientação do ex-marido. "Ele me afastou de tudo e de todos. Ele colocava medo nas pessoas. Ele me colocou em uma redoma de tal forma que podia fazer o que queria comigo. Eu não tinha sábado, domingo, não via quando eu estava doente. Eu nunca reclamei porque sabia que estava fazendo a minha parte. Teve uma coisa na minha vida que foi muito forte: eu tenho a parte emocional muito forte, porque se fosse por você [Alexandre], anorexia, bulimia e depressão, não ia ter psicólogo para curar. Ainda bem que Deus me deu coragem aquele dia, para cortar esse ciclo vicioso de todos os dias", contou. 

Então, ela falou sobre a ida à delegacia para denunciar o ex-marido. "Dá vergonha? Muita. Ser escoltada por policiais até o hospital, e o médico perguntar o que aconteceu. Eu não falei que caí da escada. Isso foi ferimento causado por trauma de porta que foi fechada no meu braço. Ainda bem que não quebrei o braço", afirmou, e completou: "Duas pessoas foram importantes para me incentivar. Um dos meus advogados que eu liguei e contei o que estava acontecendo. Ele disse: 'Você sabe que quando entrar lá, você vai fazer até o fim'. E a delegada, que ainda insistiu para eu pegar a medida protetiva, você tem certeza? Eu não peguei a medida protetiva aquele dia. Eu fui uma tola de não ter feito isso. Eu senti muita vergonha. Eu não sabia como ia voltar para casa para encontrar meu menino". 

Ana Hickmann confirma o fim do casamento

A apresentadora contou que seu casamento com Alexandre Correa chegou ao fim e ela entrou com o pedido de divórcio na última quarta-feira pela Lei Maria da Penha. "A lei está aí para nos proteger, eu dou notícia sobre isso todo dia. A lei está cada mais forte. Ela me protegeu muito", disse ela, que ainda disse o divórcio será mais rápido pela Lei Maria da Penha. 

"É muito mais rápido. O pedido de separação de corpos, o divórcio, muito mais rápido. Porque fica muito claro que aquele relacionamento não pode existir. E a gente tem que saber isso, isso vale para todas. O ministério público não está ali para mim, serve para todas as mulheres. Para todas que passaram por isso. A gente só precisa saber usar e ter a coragem. Eu não sou mulher de malandro. Eu estou aqui machucada e fui machucada por muito tempo"

Como está o filho dela?

Ana contou que seu filho, Alexandre, de 10 anos, sabe que os pais estão se separando. "Ele chora muito. Eu não vou falar nada para o meu filho [detalhes] porque quero que ele, quando crescer, tire suas conclusões. Ele não sabe que estou aqui gravando a entrevista. Ele sabe que o pai e a mãe não podem mais ficar juntos. Ele percebe que havia uma relação tóxica", contou.

"Não era assim que eu tinha imaginado a minha família. Eu estou feliz que agora consegui falar. Eu precisava me cercar de segurança primeiro, emocional, jurídica e física. Agora eu consigo falar. Na segunda-feira, quando eu voltei, perguntaram 'você tem certeza?'. Me deixa voltar, eu preciso me sentir forte e acolhida. Eu me senti abraçada pelas pessoas. Elas me respeitaram quando eu disse que não estava pronta para falar. Agora eu consigo", disse. 

Futuro

Ana Hickmann contou que ainda não sabe como vai ser a sua vida no futuro. "Essa vai ser a parte mais difícil porque ainda não sei por onde recomeçar. Mas eu vou recomeçar. Eu não tenho medo do futuro, não tenho medo de uma série de coisas. Se precisar beijar o chão, arregaçar as mangas e continuar, eu já estou fazendo. Em algum momento mais coisas terão que ser ditas, mas eu só posso fazer isso quando a justiça provar. Ninguém merece ser torturada de nenhuma forma e não estou falando isso para desmerecer a família, estou falando da figura de um agressor, de um covarde, de um canalha que acha que tem domínio sobre os outros. Eu dei poder para esse agressor. Lá atrás existia amor, e eu quis apoia-lo. Começamos a nossa história juntos e chegamos onde chegamos. Lutou pela familia e acabou protegendo um relacionamento que não era de verdade. Eu vou continuar cada vez mais verdadeira. Por ironia do destino, uma coisa que eu sempre apoiei, a causa da mulher, eu também fui vítima. Eu queria que esse pesadelo acabasse logo, mas eu sei que não vai. Eu ainda vou contar outro final para essa história", afirmou. 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!