Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Música / Vida pessoal

Mari Fernandez abre o jogo sobre sua orientação sexual: ‘Brasil inteiro quer saber’

Mari Fernandez revela qual é a sua orientação sexual de um jeito descontraído durante entrevista

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 22/11/2023, às 17h07

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Mari Fernandez - Foto: Reprodução / Instagram
Mari Fernandez - Foto: Reprodução / Instagram

A cantora Mari Fernandez surpreendeu ao falar abertamente sobre a sua sexualidade em uma entrevista no podcast PodCats. Na conversa descontraída, ela contou qual é a orientação sexual que se identifica e revelou se já ficou com homens e mulheres.

Mari contou que é bissexual e já viveu relações com diferentes pessoas. "Acho que essa é a pergunta que o Brasil inteiro quer saber. É uma pergunta que recebo muito, as pessoas perguntando se eu já fiquei com mulher e se já fiquei com homem. Muita mulher dá em cima de mim, muito homem também. E eu já fiquei com os dois", disse ela. 

Ao lado dela, o cantor Nattanzinho perguntou: "Então você é bissexual?". E ela confirmou: "Isso".

Ator de Terra e Paixão também falou de sua orientação sexual recentemente

O ator Amaury Lorenzo é um sucesso na TV ao interpretar o personagem Ramiro na novela Terra e Paixão, da Globo. Agora, ele foi questionado sobre a sua orientação sexual e abriu o jogo sobre como se sente com este assunto.

Em entrevista ao Jornal Extra, o artista contou como se define. "Eu me considero um homem LGBTQIA+. Pode ser que daqui a pouco eu me case com outro homem, cis ou trans, com uma mulher, cis ou trans... Eu sei que o público tem curiosidade de saber sobre a minha sexualidade. Não tenho problema com relação a isso. A única questão é quando o assunto fica acima do meu trabalho como ator", disse ele. 

Então, ele contou que já viu de perto o preconceito com seus amigos. "Sou professor de teatro e tive três alunos assassinados por serem LGBTQIA+. Um foi morto pelo pai. Acolhi um amigo em casa que foi espancado por estar ficando com outro homem na rua. Já recebi ex-alunos expulsos por pais evangélicos, por serem gays. Como eu posso não estar nessa luta? Vamos participar de uma Parada LGBTQIA+ no dia 29 (em Madureira). Me convidaram pra ser o rei, mas posso trocar com o Diego e ser a rainha", declarou.