Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Claudia Raia conta sua história de amor

Vilã de Salve Jorge se declara ao ator Jarbas Homem de Mello: "É um grande amor que não esperava mais à essa altura da vida"

Redação Publicado em 19/03/2013, às 10h57 - Atualizado às 12h40

Sempre juntos, mesmo morando em cidades diferentes, a estrela global e o ator gaúcho falam sobre casamento, filhos e projetos a dois. - César Alves
Sempre juntos, mesmo morando em cidades diferentes, a estrela global e o ator gaúcho falam sobre casamento, filhos e projetos a dois. - César Alves

A atriz Claudia Raia (46) vive uma fase de celebração e de descobertas com o ator Jarbas Homem de Mello (43), com quem assumiu romance no Camarote CARAS no Carnaval de 2012. “É um grande amor que eu não esperava viver à essa altura da vida”, assegurou, na Ilha de CARAS. Ao lado do amado, ela revelou detalhes do namoro, o primeiro após o fi m do casamento com Edson Celulari (55), pai de seus fi lhos, Enzo (15) e Sophia (10), com quem se relacionou por 17 anos até julho de 2010. A carreira segue na mesma trilha. Na pele da gélida e dissimulada Lívia de Salve Jorge, que mata os inimigos com injeção letal, a estrela tornou-se a vilã mais odiada do momento. “A personagem tem um DNA diferente de tudo o que já fi z. Lívia degusta tanto um bom vinho como uma boa morte. Ela aconteceu aos poucos. Glória Perez queria mostrar a blindagem em torno dessa cabeça do tráfico. Ninguém chegava nela. Agora, mudou. Uma psicopata apaixonada é capaz de tudo. O amor dela pelo Théo é que vai destruí-la”, vibrou Claudia, que quase sentiu na pele a ira do público. “Dentro de um elevador uma mulher me falou: ‘Sou sua fã, mas você não tem medo de levar um tapa na cara?’ Só estávamos as duas e pensei: ‘É agora’”.

Após a novela, o casal, que se apaixonou nos bastidores da peça Cabaret, volta a contracenar em Crazy For You, primeiro dos projetos que planejam desenvolver. “Vi esse musical na Broadway há 25 anos e pensava, quase deprimida, que não podia montá-lo no Brasil por não ter um ator capaz de fazê-lo. Quando trabalhei com o Jarbas em Pernas Pro Ar, achei o homem que canta, dança e sapateia”, festejou ela. A estreia será em outubro, em SP. “É uma bonita história de amor para a família, com músicas do Gershwin. Pela primeira vez, faremos um par romântico”, completou ele, que a partir de abril estreia na Globo com o seriado Pé na Cova. Na TV, Jarbas havia atuado antes na novela Dance Dance Dance, em 2007.

– Como tem sido esse recomeço da vida afetiva?

Claudia – Minha relação com o Jarbas é uma festa. Temos histórias e criações diferentes, mas é um encontro de almas, vidas, amor, que com certeza não foi dessa encarnação. Vem de muitas outras... Tudo diferente dos casamentos e relações que tive. Ele mora em SP, eu, no Rio, mas estamos sempre juntos. Se isso é vida a dois, temos uma vida a dois. Um casamento formal, no qual duas pessoas moram na mesma casa, não sei se acontecerá. Não sou sozinha, tenho filhos que vivem comigo. Devo ir devagar para todos se acostumarem. Não conhecia essa fórmula e é boa. É bom sentir saudade, querer se reencontrar.

Jarbas – É casamento sem rótulos nem formatos. Ganhamos jogando assim. Então, está ótimo.

– Em SP ou no Rio um se hospeda sempre na casa do outro?

Claudia – Sim. O que acaba sendo um casamento de outra maneira. Isso me agrada, mesmo após viver maravilhosa união de 17 anos. Nunca ri tanto em uma relação. Não que as outras não tenham sido divertidas. É que eu e Jarbas temos o mesmo tipo de humor.

– O que propiciou o romance?

Claudia – Ele me ouviu muito quando me separei. A relação veio da amizade. Jarbas não tem pudores comigo, me tira do patamar de estrela e me traz para a realidade. Curtimos, por exemplo, beber água de coco na areia, às 4h da manhã, vendo uma lua incrível. Tenho jeito adolescente e na relação me sinto com 13 anos. Ele é diferente de tudo o que vivi, gosta de outras coisas, mudou minha vida.

Jarbas – Ela também nunca tinha ido a um bar à noite jogar sinuca. O bacana é entrar e gostar de estar no mundo do outro.

– Quem tomou a iniciativa?

Claudia – Não compreendíamos o que estava havendo, começou como uma amizade colorida dois meses antes de assumirmos publicamente. Fui a primeira a falar. Ele, a demonstrar. Antes que virasse namoro, avisei aos meus filhos. 

Jarbas – Quando vimos, um não vivia mais sem o outro.

– Enzo e Sophia aceitam bem?

Claudia – Tudo foi dito com delicadeza, um bom tempo após a separação, e correu em paz. Edson um dia falou algo bonito: ‘Não procuro uma mãe para meus filhos, eles têm uma ótima mãe’. Digo o mesmo dele sobre a paternidade. 

Jarbas – Eu já era o tio Jarbas. Mudou só o nome: de amigo para namorado da mamãe. (risos)

– Planeja um terceiro filho?

Claudia – Seria bacana, mas não sei se a relação está pronta para isso. Agora não dá, tenho um projeto atrás do outro. Mas se não tivermos filho, será legal também.

– As pessoas se cuidam mais no início da relação?

Claudia – Ainda mais com um Deus grego do lado! Mas me cuido para mim mesma. Fico infeliz se estou fora do peso. E amo comer. Então, Jarbas me ajuda, preciso de limites, tipo ‘não come isso’. Sou quase uma criança. Com o passar dos anos, o trabalho de manutenção aumenta e falta tempo, sou megassolicitada na carreira. De repente, vejo uma faixa prata. Pergunto: ‘Como, se pintei o cabelo há dez dias?’ Isso destrói a diva. Mas não atribuo à idade, com 24 anos já tinha cabelo branco. E tomo outros cuidados, como drenagem linfática, exercícios e cremes.

– Está na sua plenitude?

Claudia – Acho que sim. Nunca tive medo de me relacionar ou me jogar sexualmente. Sempre fui ousada em tudo. Continuo igual. Mas talvez com mais paciência, discernimento e maturidade.