Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

BBB 24: Wanessa relembra período longe de Dado: ‘Eu fugia do nome dele’

Wanessa Camargo faz nova revelação sobre seu relacionamento com Dado Dolabella e conta sobre como se sentia ao sonhar com ele

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 11/02/2024, às 15h04

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Wanessa Camargo - Foto: Reprodução / Globo
Wanessa Camargo - Foto: Reprodução / Globo

A cantora Wanessa Camargo revelou novos detalhes de sua relação com o ator Dado Dolabella. Os dois namoraram há cerca de 20 anos, mas se separaram e seguiram a vida. Agora, eles se reencontraram e estão namorado. Então, ela relembrou a época em que ficaram separados e sua decisão de não tocar no nome dele. 

"Eu casei amando meu marido, mas quando não está mais bem, não tem que ficar por filho, estabilidade...", disse ela. 

Então, ela falou sobre como se sentia ao estar longe dele. "Eu enterrei essa história, não lembrava dele assim. De vez em quando aparecia em uns sonhos e eu falava: 'Eita, que sonho é esse?'. Mas eu evitava falar. Eu nunca mais fiquei perto dele. Toda vez que falavam dele, eu fugia. Era uma coisa quase inconsciente. Eu fugia do nome dele, ignorava completamente. Talvez porque eu sabia que ia mexer muito. Eu achava que estava muito resolvido, amiga. Só quando eu sonhava, ficava noiada. Nos sonhos eu sentia uma vontade", declarou. 

Por fim, ela refletiu: "O legal dessa história é que a gente não tem que ter medo de se jogar em uma história que pode dar muito medo". 

Dado Dolabella fala do vício de Wanessa

O ator Dado Dolabella surpreendeu ao fazer um comentário sobre um vício da namorada, a cantora Wanessa Camargo, no BBB 24, da Globo. Isso porque a artista voltou a fumar cigarros dentro do reality show e ele comentou sobre como se sente ao vê-la com o item na mão.

Realmente, eu também fiquei muito triste quando a Wanessa sucumbiu ao vício do cigarro. Aqui fora, ela já tinha parado com cigarros convencionais há alguns anos, mas substituiu pelo vape”, disse ele, citando o cigarro eletrônico.

Então, ele também comentou que ela queria largar o vício de vez antes de ser confinada. "Acredito que assim como as carnes (o segundo maior vício do homem depois do sexo), o mal não tem que ser substituído, mas sim eliminado. E ela estava nessa luta de parar com o vape também. Sinceramente, não sei o que é pior: cigarro eletrônico ou convenciona, pois o vape, como não empapuça, a pessoa acaba ingerindo uma quantidade muito maior de nicotina, substância que gera o vício, tornando a dependência química muito maior e a luta ainda mais difícil", disse ele. 

Por fim, Dado falou de sua própria experiência. "Piorando a situação, (ela está sob) a pressão de um reality. Eu, graças a Deus, consegui me liberar de todos os vícios. Fumados ou ingeridos. Nem álcool eu bebo mais. E, assim como eu consegui, acredito muito na evolução das pessoas. Portando, menos julgamentos e mais compaixão", afirmou.