Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Goji Berry: veja os benefícios desta fruta que ajuda a emagrecer

Usada na medicina chinesa há mais de 600 anos, a fruta conquistou os brasileiros que estão em busca de um rápido emagrecimento e um organismo mais saudável. Endocrinologista revela os benefícios da goji berry; confira!

Luiza Camargo Publicado em 01/04/2014, às 10h58 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Goji Berry - Shutterstock
Goji Berry - Shutterstock

Usada na medicina chinesa há 600 anos, a goji Berry conquistou os brasileiros nos últimos meses. Ótima para a saúde, esta fruta tem um forte poder antioxidante e é rica em proteínas e ácidos graxos que ajudam a equilibrar os níveis hormonais e aceleram o metabolismo.

“A goji berry potencializa os órgãos excretores de toxinas, melhora a função do fígado e dos rins, protege contra doenças cardiovasculares e inflamatórias, reduz a artrite, o colesterol e os níveis de glicose, além de regular a pressão arterial e  melhora a visão e a imunidade, pois possui aminoácidos e minerais que fortalecem o sistema imunológico. Inclusive, a fruta tem um anticancerígeno que raramente é encontrado em alimentos, o germânio”,  afirma a endocrinologista Dra. Tatiana Cunha.

+ Gengibre ajuda a manter a boa forma e evita inflamações

+ As frutas da estação e seus benefícios para o corpo

Uma colher da fruta tem apenas 50 calorias e já é facilmente encontrada na forma desidratada em lojas por todo o Brasil. Por ajudar a acelerar o metabolismo rapidamente, a goji virou uma grande aliada das pessoas que estão de dieta e desejam emagrecer rápido.

“Um estudo da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, revelou que quando o corpo atinge o nível certo de vitamina C (entre 4,6 e 15 mg), passa a queimar gordura mais rápido e uma colher de  goji berry tem 375 mg. Mas lembre-se, por mais que seja uma fruta muito completa, tudo o que comemos em excesso faz mal para a nossa saúde. Além disso, nenhum alimento sozinho consegue beneficiar a saúde como um todo”, alerta a endoncrinologista.