Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Bem-estar e Saúde / Neurodivergente

Filho de Elizabeth Savala reflete sobre diagnóstico: ‘Eu sou’

Filho de Elizabeth Savala, Thiago Picchi revela que recebeu o mesmo diagnóstico que a atriz Leticia Sabatella

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 11/09/2023, às 15h35

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Thiago Picchi e Elizabeth Savala - Foto: Reprodução / Instagram
Thiago Picchi e Elizabeth Savala - Foto: Reprodução / Instagram

O escritor Thiago Picchi, que é filho da atriz Elizabeth Savalla, apareceu nas redes sociais para revelar que recebeu um diagnóstico recentemente. Ele contou que foi diagnosticado com TEA (Transtorno do Espectro Autista) e decidiu falar sobre o assunto após ver que a atriz Leticia Sabatella recebeu o mesmo diagnóstico e falou sobre isso publicamente.

Em um vídeo nas redes sociais, o filho da atriz afirmou que foi diagnosticado com autismo no início deste ano, aos 47 anos de idade, após exames e análise no psicólogo. “Sou muito solidário, e minha admiração pela Leticia Sabatella só aumentou pela coragem que ela teve de se expor e de fazer gente como eu se sentir menos estranha em vir aqui na própria rede social para falar para o maior número de pessoas que eu tenho esse diagnóstico”, disse ele.

E completou: “Me tira esse peso enorme das costas poder falar abertamente sobre isso e poder fazer com que as pessoas me conheçam do jeito que eu sou sem eu ter que simular ou aparentar alguma ‘normalidade’. Eu sou neurodivergente. Já imagino pessoas maldosas ouvindo isso, porque a bondade é algo difícil de você disseminar”.

Então, Thiago falou sobre quando recebeu a notícia. “Sempre fui para onde eu quis na minha vida, e esse diagnóstico significa que ser neurodivergente não é um impedimento para nada na vida de ninguém. É apenas uma forma diferente, mas não pior, de ser. Aos 30 anos, uma psicóloga suspeitou do meu diagnóstico, e eu fui em outra psiquiatra, passei por uma bateria de exames. Deu que eu tinha TDAH, mas eu não queria aceitar, dizia que era apenas um rótulo, mas agora iniciei o tratamento para isso”, afirmou.

Por fim, ele contou que o tratamento vai ajudá-lo com as crises de depressão. “O mais importante são as formas adequadas de se tratar, porque o que eu descobri é que os episódios de depressão constantes são como se fossem comorbidades do meu diagnóstico não tratado, e que isso demoraria para passar”, afirmou.

Assista ao vídeo de Thiago Picchi: