Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / Julgamento

Caso Daniel Alves: DNA do jogador é encontrado no corpo da denunciante

No terceiro dia de julgamento do caso Daniel Alves, médico legista que examinou denunciante afirma que encontrou DNA do jogador no corpo da jovem

Daniel Alves - Getty Images
Daniel Alves - Getty Images

O julgamento sobre a acusação de estupro do jogador de futebol Daniel Alves chega ao fim nesta quarta-feira, 7. Perto de encontrar uma sentença para o caso, o médico legista que examinou a suposta vítima na noite do ocorrido afirmou que encontrou "DNA compatível com o agressor" no corpo da jovem.

Ouvido pela justiça, o médico revelou que os exames na mulher não revelaram ferimentos que pudessem indicar uma relação sexual violenta. No entanto, isso não indicava que não havia acontecido um estupro.

As análises foram coletadas em fevereiro de 2023, quando o caso ainda permanecia em segredo de justiça. No entanto, a imprensa espanhola confirmou na época que, com base em fontes da investigação, os exames indicavam restos de sêmen de Daniel Alves na jovem.

Daniel Alves chora ao dar seu depoimento

No terceiro dia de julgamento sobre o caso, Daniel Alves falou pela primeira vez sobre a fatídica noite. Ao ser ouvido pela justiça após dois dias quieto, sem poder comentar o relato de outras testemunhas, o jogador relembrou o que aconteceu naquela boate em Barcelona.

No início do seu depoimento, Daniel Alves contou que saiu para comer com seus amigos por volta das 14h30 e consumiram algumas bebidas alcóolicas, como vinho, uísque e saquê. Logo depois, eles foram para um bar e, então, para uma boate. Ele disse que duas mulheres já estavam na área reservada e o amigo dele, Bruno, chamou elas para ficarem com eles. Daniel dançou com uma delas e disse que achou que elas sabiam quem ele era porque elas pediram para tirar foto.

O atleta contou que o clima ficou mais quente entre ele e a mulher com quem estava dançando e eles trocaram carinhos. Então, ele a chamou para ir até o banheiro e ela aceitou. Ele disse que entrou primeiro no banheiro e a mulher entrou um tempo depois. “Ela estava na minha frente e começamos a relação. Lembro que ela sentou em mim. Não sou um homem violento. Não a forcei a praticar sexo oral forçadamente. Ela não me disse nada. Estávamos desfrutando os dois e nada mais”, disse ele no depoimento, segundo o site Globo Esporte.

Logo depois, ele contou que foi para casa e viu a esposa, Joana Sanz, na cama deles. Ele deitou e dormiu. Daniel chorou neste trecho do depoimento. Então, ele relembrou da repercussão na mídia do caso de assédio. “Soube que estavam me acusando de violação sexual. Estava praticamente arruinando porque tive todos os meus contratos rompidos, contas bloqueadas. Fiquei sabendo tudo pela imprensa”, declarou. O depoimento dele chegou ao fim depois disso.