Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Maria João: 'Temia queimar minha imagem'

Segunda eliminada de ‘A Fazenda – Nova Temporada’, Maria João Abujamra revela: ‘Se ficasse mais tempo, corria o risco de começar a surtar, a ter ataques. Era do que eu mais tinha medo. Temia queimar minha imagem’

<i>por Thais Arbex</i><br><br> Publicado em 03/12/2009, às 18h21 - Atualizado em 04/12/2009, às 09h39

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Maria João Abujamra - Record
Maria João Abujamra - Record
Maria João Abujamra foi a segunda participante de A Fazenda - Nova Temporada a deixar o reality show da Record. Mas, para ela, os quinze dias em que passou confinada foram mais do que suficientes. "Tive a oportunidade de conhecer toda a equipe da Record e de mostrar quem eu sou na medida certa", afirmou em conversa com o Portal CARAS. E Maria justifica: "Se ficasse mais tempo, corria o risco de começar a surtar, a ter ataques. Era do que eu mais tinha medo. Temia queimar minha imagem", revelou a repórter que, por nove anos, esteve ao lado de Amaury Jr.. Apesar de não querer apostar em um favorito, Maria João acredita que Xuxa é o grande jogador de A Fazenda - Nova Temporada. "Ele é mais jogador de todos, o mais inteligente no sentindo de entender as pessoas e o jogo", disse. Agora, com sua saída do reality, ela quer investir em sua produtora e no projeto pessoal A Maria Viaja. "Minha ideia é apresentar o piloto do programa para a Record e para RedeTV!", contou a repórter que tem contrato com a Record até março de 2010. Confira abaixo a conversa de Maria João com o Portal CARAS: - Como você define sua participação em 'A Fazenda'? - Foi uma experiência super legal para mim. Estava super a fim de mudar, de seguir novos caminhos. Acredito que a oportunidade participar do programa veio na hora certa. Para mim, os 15 dias que eu fiquei na fazenda foram mais do que suficientes. Tive a oportunidade de conhecer toda a equipe da Record e de mostrar quem eu sou na medida certa. - Você ficou surpresa com a sua eliminação? - Não fiquei triste, não. É claro que, na hora, por conta da situação, a gente acaba ficando chateada. Mas não tenho por quê lamentar. Eu senti que sai no momento certo. Sou muito impulsiva, às vezes falo sem pensar, sou meio estourada, mas estava conseguindo me controlar até o dia que sai. Tive a sensação de que, se ficasse mais, poderia ter começar a me irritar e brigar com as pessoas. Depois de quinze dias convivendo com pessoas que não são da sua família, nem do seu círculo de amizades, é normal que pequenas coisas do dia a dia comecem a irritar. - Como você fez para se controlar? - Tenho uma característica que me acompanha desde que eu me conheço por gente: só brigo e me irrito com as pessoas que eu amo. Nenhum deles era o meu melhor amigo, por isso não gritava com ninguém. Mas, seu tivesse ficado mais, aí sim eu ia começar a criar um vínculo mais forte com eles e seria inevitável começar a dar uns puxões de orelha. - Você faria algo diferente? - Deixei de surtar, de brigar, de ter ataques. E talvez isso tenha me prejudicado porque o público gosta de barraco. No dia em a Andressa Oliveira perdeu a chave durante o Desafio Semanal, eu tive vontade gritar com ela. E eu nem poderia imaginar que isso me mandaria para roça. Mas respirei fundo e contei até dez. Brigar com ela naquele momento não me levaria a nada. Quem sabe se eu tivesse discutido não estaria lá ainda? - O que foi mais difícil no período em que esteve confinada? - O momento mais difícil foi o dia em que sai do programa. Mas também é muito difícil ser comandada o tempo inteiro, estar confinada com pessoas as quais nunca convivemos. Mas eu senti que estava preparada para aquele momento. Depois de nove anos no Amaury Jr., estava mesmo sentindo a necessidade de seguir outros rumos. - Com quem você mais se identificou? E com quem menos se identificou? - Sheila Mello, Karina Bacchi, Adriana Bombom. A gente se amou muito. O Maurício Manieri vai ser meu amigo para o resto da vida. A Andressa e o André Segatti, por serem mais tranquilos, não têm muito a ver com o meu jeito espevitado de ser. Não sei se eles serão meus amigos, de sair para dançar, para se divertir. - Antes de entrar no reality show, o que você mais temia? - Sou muito sincera e muito honesta. Tinha muito medo de queimar meu filme. A gente não sabe o que vai para o ar. Temia muito denegrir a minha imagem. Tenho a minha produtora, faço reunião com executivos diariamente, e por isso fiquei com receio de passar uma imagem ruim. E também tem a minha família, que é tradicional. Não podia queimar isso. - Já dá para apostar em um vencedor? Para quem você torce? - Ainda não dá para apostar em um vencedor. Mas eu acho que o Xuxa é mais jogador de todos, o mais inteligente no sentindo de entender as pessoas e o jogo. Eu torço muito para a Bombom, mas também acho que o Igor (Cotrim) é o que mais precisa do prêmio. - Quais são os seus projetos a partir de agora? - Eu acredito que nada acontece por acaso. Era para eu ter participado e ter ficado o tempo que fiquei. Consegui ganhar dinheiro, comprei meu primeiro apartamento. Foi o trabalho mais fácil da minha vida. Agora estou com o meu projeto A Maria Viaja para apresentar para a Record e para a RedeTV! Até o final de março, tenho contrato com a Record. Mas depois quero começar a dirigir e produzir. Mas o meu foco é a televisão. Penso também em voltar a investir na minha carreira de atriz, já que tenho formação em Artes Cênicas.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!