Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Amy gastava mil libras por dia em drogas

Stylist de Amy Winehouse fala sobre hábitos da cantora e afirma que ela gastou 130 mil libras em sua reabilitação

Redação Publicado em 26/07/2011, às 08h52 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Amy Winehouse gastava mil libras por dia em drogas e álcool - Getty Images
Amy Winehouse gastava mil libras por dia em drogas e álcool - Getty Images

Alex Foden, stylist e amigo de Amy Winehouse (1983-2011), revelou ao The Mirror que a cantora gastava por volta de mil libras ao dia na compra de drogas e álcool. “Ela era engraçada, generosa, uma garota de um coração enorme e que não tinha arrependimentos. Ela fez parte de grande parte da minha vida e me sinto privilegiado de ter feito parte da vida dela. Não a culpo por ter me levado às drogas – eu sabia o que estava fazendo. Amy gastou 130 mil libras na minha reabilitação... Ela salvou a minha vida”, afirmou Foden.

De acordo com ele, a cantora também sabia que morreria jovem. “Amy sempre me dizia que achava que iria morrer jovem e sabia que faria parte do clube 27”, disse o cabeleireiro, referindo-se ao grupo de músicos que, assim como Amy, também morreram aos 27 anos. Ele também revelou que, recentemente, ela havia parado de se drogar, mas que estava bebendo muito whisky.

Alex e Amy moraram juntos em Londres durante um ano e, por 18 meses, se drogaram juntos. O cabeleireiro admitiu que, ao lado da amiga e do marido dela na época, Blake Fielder-Civil (29), gastavam mil libras por dia com o vício. Ele estava com o casal quando Amy e Blake foram presos por posse de maconha na Noruega em outubro de 2007.

“Amy era muito generosa e pagava por todas as drogas – principalmente coca, heroína e maconha. Em sua pior fase, chegava a gastar mil libras em drogas em apenas 24 horas. Os limites dela eram inacreditáveis, mas normalmente ela sabia até onde ir”, disse Alex, acrescentando que, por conta da heroína, que reduzia a quantidade de açúcar no sangue, a cantora costumava ingerir muitos doces.

Segundo Alex, Amy tinha uma personalidade obsessiva e extremista, principalmente no que dizia respeito à comida e às drogas. “Ela adorava comer, mas, às vezes, comia muito e corria para o banheiro para se livrar de tudo. Ou, então, passava quatro ou cinco dias sem comer, sobrevivendo apenas de álcool, drogas e doces.”