Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Luigi Baricelli e sua esposa, Andreia, aproveitam o tempo juntos em Goiás

O ator vai investir no mercado imobiliário americano e na carreira de palestrante, além de dois longas que filmará no segundo semestre

CARAS Digital Publicado em 26/06/2014, às 10h03 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Luigi Baricelli - Caio Guimarães
Luigi Baricelli - Caio Guimarães

A inquietude e a constante busca por novos desafios são características que se destacam na personalidade deLuigi Baricelli (42). Prova disso é a pluralidade com a qual pontua a rotina, dividindo-se entre o universo das artes e a veia empreendedora. “Minha mente é estruturada para trabalhar com muitas coisas ao mesmo tempo. Não consigo ficar parado e, se estou na zona de conforto, fico incomodado, infeliz”, dispara o ator, que investe no mercado imobiliário americano e na carreira de palestrante e este ano somará ao currículo a atuação nos longas Dona Beja e Última Chance, ambos com filmagens no segundo semestre.

Imutável mesmo, só seu amor pela eleita, Andreia Baricelli (42), com quem está casado há 20 anos, e pelos filhos, Vittorio (16) e Vicenzo (12). É ao lado deles que Luigi, pai ainda de Rubia (24), de união anterior, encontra equilíbrio e forças para desempenhar suas múltiplas facetas e para relaxar. “Andreia é muito parceira e sempre está ao meu lado dando apoio. O tempo só faz bem para a nossa relação”, frisa ele, com a família no Rio Quente Resorts, em Goiás. “Não consigo imaginar Luigi parado. Ele não consegue”, garante Andreia.

– Como concilia suas múltiplas atividades do dia a dia?
– O maior inimigo que podemos ter é a nossa mente. É preciso se programar para não deixar a mente o derrotar e, assim, realizar o que quer. Essa é a minha regra!

– Quais as temáticas que aborda em suas palestras?
Luigi – São palestras transformacionais, motivacionais e sobre tecnologias que impactam ou irão impactar nosso dia a dia. Hoje, incentivar as pessoas a empreender virou um propósito de vida para mim, em especial, quando falamos dos jovens. Pesquisas mostram que eles não estão preocupados com a estabilidade, mas sim em fazer algo que faça diferença, que transforme o ambiente em que vivem. Eles querem crescer e eu quero ajudá-los com minhas experiências.

– Andreia é parceira na vida e em suas empreitadas. Qual é o segredo do relacionamento?
Luigi – O amor é fundamental e, o nosso, é eterno! É importante ainda querer ter e manter uma família. Se não existir esse desejo em comum, não há harmonia.
Andreia – Respeito é essencial. É preciso respeitar o espaço e a opinião do outro. Não é preciso se submeter às ideias da pessoa, mas respeitar e entender. Hoje, casamentos, sociedades e amizades não dão certo por falta de paciência.


– Os meninos já estão na adolescência. Quais mudanças essa nova fase trouxe para vocês?
Andreia – A gente ficou mais relaxado, pois eles são tranquilos. Não ficam na rua e não têm amizades ruins. Então, estamos em um momento muito sossegado.

– Temem pelo futuro deles?
Andreia – A violência é preocupante... Os levamos e buscamos aos lugares, para não ter riscos. O bacana é que eles confiam em nós e nos contam tudo.
Luigi – Infelizmente, a violência está ai, mas penso que não podemos reclamar. Temos é de agir. Parar de reclamar do nosso País e tentar mudar. Como? Votando direito e cobrando nossos líderes.

– Os meninos seguem essa linha mais politizada?
Andreia – Eles vão atrás dos direitos deles, questionam. As pessoas, às vezes, não se mexem por acharem que não podem fazer mudanças. Eles, não! Tentam, mas, senão conseguem, não se revoltam.
Luigi – É engraçado, porque as pessoas não estão preparadas para serem questionadas. Quando isso acontece, começa a nascer um novo pensamento na sociedade.