Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

O clã inspira Marcio Garcia em novo programa

No retorno como apresentador, ele usa sua vivência pessoal

por Carlos Lima Costa Publicado em 10/07/2016, às 09h18

Em casa, Marcio, Andréa e os filhos João, Nina, Felipe e Pedro e os cães Chico e Mel - FABRIZIA GRNATIERI
Em casa, Marcio, Andréa e os filhos João, Nina, Felipe e Pedro e os cães Chico e Mel - FABRIZIA GRNATIERI

O apresentador e ator Marcio Garcia (46) volta a comandar um programa a partir do próximo domingo, 10, o semanal Tamanho Família. “O nome foi superadequado ao que vamos mostrar”, destacou ele, que conhece e domina bem o tema. Afinal, com a mulher, a nutricionista Andréa Santa Rosa (38), tem quatro filhos: Pedro (12), Nina (11), Felipe (7) e João (2). “Virei coadjuvante da minha vida. Eles são protagonistas”, confessa, em casa, no Joá, Rio. É devido à experiência pessoal que mostra-se tão tranquilo e empolgado com a fórmula da atração global. “Nosso objetivo é, de forma bem-humorada, discutir variadas questões que muitas vezes são difíceis de saber a hora certa de falar. E todo assunto terminará em uma prova”, explicou. Semanalmente, dois famosos, com os familiares, irão se enfrentar. Na estreia, Juliana Paes (37) e Bruna Marquezine (20). “Nessa brincadeira, vamos descobrir intimidades dos artistas. Mas não será só entretenimento. Terá reflexão e instrução. Temos um projeto original e tenho certeza de que será sucesso. Como ator, vou atuar só no cinema. Meu contrato com a Globo agora é como apresentador. Me divirto mais assim”, completou ele, cuja experiência mais recente na área foi o Globo de Ouro Palco Viva, em 2015.

Existe a possibilidade de um dia alguém lhe substituir no comando para você participar como convidado com sua família?
Eu toparia e meus filhos me cobram isso. A princípio, a ideia é fazer com que apareçam de alguma forma: levando uma ficha ou um microfone. Todos os comerciais que gravei com eles, foram consultados para ver se queriam participar. Eles adoram uma câmera. Não sei a quem puxaram. (risos)

Como é ser o chefe de uma grande família?
É complexo, são vontades diferentes. Por exemplo, se formos ao cinema, qual a probabilidade de encontrarmos um filme que todos querem ver? Nenhuma. Mas é uma complicação deliciosa. Nos fins de semana, fico praticamente de motorista e quem sou eu para emitir uma opinião no meio de tanta gente. Tenho é que intermediar e gerenciar a crise. Falar aonde vamos ou convencer um de que tal proposta é melhor. E, outra coisa, com essa penca de filhos, quem vai nos convidar? Já chegamos em sete se levarmos uma babá. Ficamos muito mais no nosso canto. Outro dia, Pedro era bebê. Agora, está namorando. Estamos ficando velhos, dá até um medo.

Andréa usava o DIU quando engravidou do caçula. E você planejava fazer uma vasectomia...
A vasectomia está feita há uns sete meses.

Congelou o sêmen para o caso de mudar de ideia?
A cirurgia é reversível em cinco anos. Mas já preenchi minha cota. Vou esperar os netos.

Andréa – O dia a dia não é tão fácil como parece. Administrar quatro filhos também não é simples. O tempo para o casal reduziu muito, ficou escasso, então, o pouco tempo que temos só para nós dois, valorizamos muito.

Marcio, o que mudou com a paternidade?
O comprometimento, a preocupação de forma geral. Por mais que tenha feito coisas erradas, você não vai querer que um filho faça o mesmo. Isso é doido. Você vai ficando careta. E hoje a turminha tem acesso a informações pela internet.

Você controla?
Bastante. De vez em quando vou lá e dou uma fuçada. Agora bloqueamos algumas buscas na internet. E controlo o videogame, apesar de nenhum ser viciado em jogo. Incentivo a leitura e a boa alimentação, área da Andréa.

Você também se adaptou?
Sim, Andréa é mais xiita. Mas me permito no fim de semana, por exemplo, comer uma pizza. Sempre me alimentei bem, ela vai além disso. Tomamos muitos suplementos, para ser sincero, já nem sei o que é. Só abro a boca e ela coloca um bolo de dez pílulas.

Em setembro, você e Andréa completam 16 anos de relação. Como avalia esse tempo?
Sempre entramos em um relacionamento achando que vai ser tudo de bom. Mas confesso que não esperava ficar tanto tempo com alguém. Andréa é incrível em todos os níveis. Estamos juntos por cumplicidade, afinidade, parceria, amor e química. Um respeita a privacidade do outro. Não acredito em união que se sustenta por fatores que não sejam em relação ao casal ou pelos filhos.

Andréa – Temos momentos bem gostosos, mas não somos uma família de comercial de margarina. Algo que deve existir na rotina é conversa. Se um assunto incomoda, tem que falar. É importante também respeitar o espaço do outro e ter uma vida fora da família, com os amigos.