Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Noivas / Anuário 2009

Luciana Mello apresenta a filha, Nina

No Castelo, a cantora fala de seus sonhos realizados com o marido, Ike Levy

Redação Publicado em 03/11/2009, às 21h48 - Atualizado em 11/11/2009, às 10h06

Em Tarrytown, New York, Luciana e a pequena Nina posam para o apaixonado fotógrafo. - CADU PILOTTO
Em Tarrytown, New York, Luciana e a pequena Nina posam para o apaixonado fotógrafo. - CADU PILOTTO
Desde pequena o sonho da cantora Luciana Mello (30) era casar e ter filhos. A menina alegre ia mais além, queria encontrar o amor de sua vida e ser mãe aos 30 anos. Há cinco anos ela começou a namorar o fotógrafo Ike Levy (33), casou-se com ele e há cinco meses chegou Nina, a princesa que veio coroar a união. Luciana e Ike fizeram questão de cuidar da filha desde o nascimento, dispensando o auxílio de babá. "Tinha que tentar ser mãe sozinha. O Ike me ajuda muito e é um paizão. Se soubesse que era tão bom ser mãe teria tido antes", disse a filha do cantor Jair Rodrigues (70) no Castelo de CARAS, em Tarrytown, a 40 minutos de Manhattan, em New York. "Essa é a primeira viagem internacional da nossa filha. Ela está se saindo muito bem. É uma criança tranquila e calma", elogiou a mamãe, enquanto caminhava pela propriedade às margens do rio Hudson com a pequena. - Que tal a maternidade?Luciana - É a melhor coisa do mundo. Se eu soubesse que era tão bom teria tido antes. É maravilhoso. A Nina é tranquila e bem calminha. Foi um presentaço de Deus. Sempre quis ter filho com 30 anos e falava que até essa idade iria achar o homem da minha vida. Tudo o que eu sempre pedi aconteceu. Ser mãe é você ser mais responsável do que você foi a vida inteira. Você não entende o que é o amor de verdade até ter filho. - Me fale um pouco da Nina...Luciana - Nina tem a personalidade forte como todas as mulheres da minha família. Ela tem ascendente em aquário, que é o meu signo. Ela já sabe o que quer, tem as vontades próprias. Se ela não quer ir no carrinho, não vai de jeito nenhum. Ao mesmo tempo é muito calma e fica nos lugares na boa. Acostumamos ela a viver nossa vida e não fazemos nada que a prejudique. - Vocês que cuidam dela?Luciana - As duas babás da Nina sou eu e o Ike. A gente fez questão de cuidar dela nesses primeiros meses e agora que peguei uma pessoa para me ajudar para eu poder voltar a trabalhar. - Com quem ela se parece?Luciana - Ela tem o olhar do Ike. O rosto redondinho é meu. Eu bebê era parecida com ela, mas com o dobro do tamanho. - Ike, como a Luciana está se saindo como mãe? - Uma mãezona. Desde a gravidez ela tem se saido maravilhosamente bem. Não passou mal, tinha uma rotina normal e estava linda barriguda. Ela tem uma prática em cuidar da Nina que parece ser o quinto filho dela. Luciana - Grávida fica sensível e o Ike esteve sempre ao meu lado. Ter esse apoio refletiu muito no bem-estar da Nina. - E o Ike como pai? - Ele é maravilhoso. Troca fralda, dá banho e me ajuda muito. - O que mudou no relacionamento após a chegada da Nina?Luciana - A gente se dá muito bem. O importante do relacionamento é você ser amigo. Nós rimos o dia inteiro e ele me entende 100%. A gente se fala e se comunica só de olhar um para o outro. Como todo mundo, nós temos as nossas brigas, mas o importante é que nos amamos. - Qual o melhor momento desde a chegada da pequena?Luciana - Sem dúvida o parto. Foi uma coisa estrondosa. O Ike assistiu e fotografou. É uma explosão de sentimentos. Não dá para explicar a sensação. Passei nove meses na ansiedade de ver como ela era. O narizinho, contar os dedinhos, ver se era cabeluda mesmo como mostrava no ultrasom. Quando a peguei no colo falei 'Meu Deus, ela saiu de mim'. Nunca vou esquecer disso. Ike - Escolhemos a trilha sonora do parto. Tinha músicas da Lú, Clara Nunes, Jair Rodrigues, Maria Bethânia. Levamos o Ipod e colocamos lá. Foi incrível. - Vocês pensam em ter mais?Luciana - Deixa a gente dormir um pouco (risos). Pensamos sim. O Ike vem de uma família grande e eu também. Se Deus quiser e permitir a gente vai querer ter outro filho. Acho importante para a criança não crescer sozinha. Ike - A gente pensa em dois, mas primeiro queremos curtir bastante a nossa Nina. - Tem algo que vocês queiram ensinar para ela?Luciana - Muitas coisas. Não só as coisas mais óbvias que é o respeito, pois é muito difícil criar um filho hoje em dia. Antes de ter a Nina eu conversava com o Ike sobre ter um filho neste mundo maluco. Os valores das pessoas estão completamente distorcidos. Além dos valores de família que quero passar, vou querer que ela toque baixo, piano, que faça fotografia. A Nina é muito observadora, olha tudo... Pode ser que saia aí uma grande artista (risos) Ike - Fizemos o mapa astral dela e ela tem um lado artístico forte. - Que tal a viagem?Luciana - Estávamos apreensivos dela estranhar o voo mas foi muito tranquilo. Ela está numa boa, sorrindo. Eu e Ike adoramos viajar juntos. Quero levar a Nina para conhecer outras culturas. - E a carreira, como vai? - Estou em processo de lançamento do disco O Samba Me Encantou, que gravei com o meu irmão, Jair Oliveira. São só sambas e entrarei em uma temporada de shows agora. Vou levar a Nina junto. Enquanto eu me apresento ela fica com o Ike no hotel.