Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Música / Novidade

Duda Brack, a Iolanda de Além da Ilusão, lança o clipe para a música 'Man'

Intérprete da Iolanda na novela Além da Ilusão, Duda Brack conta sobre o seu novo clipe para a música 'Man', que conta com a participação de Gabriel Leone

CARAS Digital Publicado em 08/07/2022, às 13h52

Duda Brack - Foto: Divulgação
Duda Brack - Foto: Divulgação

A atriz e cantora Duda Brack, que interpreta a Iolanda na novela Além da Ilusão, está com novidade em sua carreira musical. Nesta semana, ela lançou o clipe da música Man, que faz parte do disco Caco de Vidro, e contou com a participação do amigo e ator Gabriel Leone.

A canção faz parte do projeto Uma Saga de Duda Brack, que também conta com as músicas Pedalada e Toma Essa. Em conversa com a CARAS Digital, ela contou sobre a história do novo clipe, a sua parceria com Gabriel Leone, a relação de amizade com Ney Matogrosso e também a amizade com Larissa Manoela nos bastidores da novela. Confira:

- Esse clipe traz o desfecho de uma história de amor, mas que mostra uma mulher que se liberta de uma relação abusiva. Onde você buscou inspiração?

A dramaturgia se deu a partir das letras das músicas do meu segundo disco “Caco de Vidro”. Acho que é um pouco atravessada por várias relações que eu tive, mas não conta exatamente nenhuma delas e também fui muito influenciada por histórias de mulheres que estavam próximas a mim... Amigas, família, que eu acompanhei as relações e vi algumas estruturas como essas se desenvolvendo

- O que você gosta de ouvir? No seu trabalho musical há referência de outros artistas?

Minha escuta musical é muito diversa. Eu vou de “Paco de Lucia” a “Timbalada” no mesmo dia. Eu gosto de funk, gosto de música clássica, gosto de rock e gosto de pagode... Eu escuto de tudo mesmo e acho que deixo isso tudo atravessar a minha musicalidade. Então quando eu vou fazer um trabalho novo, acaba que tudo aquilo que estou ouvindo naquele momento me influencia... E isso vai mudando porque eu não estou sempre nos mesmos discos, os mesmos artistas, apesar de ter aqueles que eu estou sempre escutando. Mas eu não tenho interesse em ocupar um nicho no mercado e isso é até um problema hoje em dia, algoritmo, tudo funciona de modo a querer te encaixar, te botar em uma caixinha e dizer: você vende isso, você faz isso, então você só serve pra isso. E a minha grande luta na arte é poder ser livre e fazer o que eu quiser e isso mercadologicamente falando às vezes me gera um pouco de conflito... Mas não adianta, não consigo fazer de outra forma. Eu tenho vontade de fazer muita coisa, eu escuto música latina, eu escuto rock e tudo isso vai em algum momento refletindo no que eu estou construindo musicalmente. 

-Qual é o desafio de ser cantora e atriz ao mesmo tempo?

O desafio das duas coisas é que você não tem como fazê-las juntas, porque são duas coisas que requerem muito da sua energia vital. Quer dizer, sobretudo novela... Eu não sei, nunca fiz cinema, nunca fiz teatro, quero muito vir a fazer ainda na minha vida, mas eu acredito que seja parecido. Você vive um tempo pra aquilo, é quase sacerdotal, porque a carga horária é muito intensa, tem novela, toda semana tem cena nova pra decorar, texto novo pra decorar, você grava quase todo dia e não tem muita rotina porque um dia você grava sete da manhã, outro dia você grava meia-noite e você fica sabendo da agenda com pouca antecedência. Eu não consigo dar conta de fazer isso e estar na estrada, por exemplo, rodando o show... Então eu já entendi que tem que intercalar as duas coisas. O máximo que eu conseguir fazer durante esse período da novela foi gravar o clipe, que já tinha aprovado o projeto, já tinha uma ideia e eu consegui formar a equipe e num domingo filmar. E começar a gravar algumas músicas novas que eu estou querendo lançar no segundo semestre ano que vem, planejar agenda de show pro segundo semestre, mas realmente estar na estrada, estar gravando disco, produzindo intensamente eu não estou conseguindo...

Eu tive que dar uma freada na minha carreira na música pra poder fazer a novela. No mundo ideal eu gostaria de viver as duas coisas periodicamente intercaladas, seis meses pra música, seis meses pra dramaturgia, três meses de férias, seis meses pra música, seis meses pra dramaturgia, três meses de férias...  Aí eu seria muito plena e feliz porque eu amei muito atuar e acho que eu tenho muita coisa ainda pra aprender, ao passo que como cantora eu já tenho uma boa estrada nas costas, já sou uma cantora segura do lugar que eu ocupo, posso me afirmar como uma das grandes cantoras da minha geração por tudo que eu já fiz e já conquistei e pelo que eu sei que eu sei fazer e acho que eu estou começando essa trajetória na dramaturgia, mas desde já estou muito envolvida e apaixonada e eu também sou muito movida a desafios, não sou muito de me amedrontar não, eu sou de correr atrás e conquistar as coisas. 

- Como nasceu a ideia de ter a participação do Gabriel Leone no clipe?

Eu conheci Gabi em 2018 no primeiro dia de preparação para o filme 'Eduardo e Mônica'. Na época eu trabalhava como colaboradora do preparador de elenco que estava preparando o Gabi pro filme e ele me chamava pra alguns processos de preparação pra colaborar com trilha sonora, cantando, estimulando os atores no processo de construção dos personagens e aí a gente super se conecto! O Gabi é músico, então a gente foi criando uma troca nesse lugar, a gente tinha um gosto musical muito parecido e várias referências em comum. Aí ele me chamou pra assistir a um musical dele em São Paulo e nesse dia eu tive um insight de convidá-lo para a saga, pois eu já estava com a ideia de fazer um clipe que fundisse a linguagem do cinema com a música, que são minhas duas paixões e eram os dois universos que eu estava trabalhando naquele momento... Na minha carreira na música, nesses trabalhos que eu estava colaborando, eu estava começando a flertar com esse universo do cinema. Apresentei a ideia e ele topou na hora e a gente se conectou muito, ele colaborou muito nesse projeto, em um dos episódios ele até escreveu o roteiro junto, e a gente troca muito sobre esses dois universos. Ele é um artista que me inspira muito e virou um grande amigo, uma pessoa muito especial na minha vida.

- Você é muito elogiada por Ney Matogrosso. Como é a relação entre vocês?

Eu conheci o Ney em 2017 quando eu estava fazendo “Primavera nos Dentes”, que era um projeto que eu cantava a convite do Charles Gavan... Com o repertório do “Secos Molhados” a gente gravou um disco, depois rodou o show... O Ney ouviu o disco e adorou, foi ver o show e amou, e desde então a gente foi se aproximando... Depois ele soube que eu ia lançar meu disco e me chamou pra lançar pelo selo dele, aí eu chamei ele pra participar da saga, do clipe, depois eu chamei ele pra gravar uma música minha no meu disco, que saiu ano passado... Ao longo desse processo todo da gente se aproximar artisticamente a gente virou amigo... Ney é um amor na minha vida, a gente conversa sobre tudo, a gente é muito próximo e ele se tornou uma pessoa muito presente e muito especial na minha vida também. A gente troca muito sobre todos os assuntos, não só sobre música... Sobre espiritualidade, sobre sexualidade, a gente fofoca pra caramba, toma café da tarde juntos... É uma relação de amizade... Ele sempre foi um ídolo pra mim, mas a partir do momento em que a gente se conheceu, o Ney é tão simples, tão humano, que ele mesmo desconstrói esse mito, essa esfinge que a gente pensa que ele é... E ele no palco é mesmo, mas quando você o conhece ele é muito gente e ganhou o meu coração. 

-Na novela Além da Ilusão, a sua persoangem chegou na novela para infernizar a vida da personagem da Larissa Manoela. Como é a troca entre vocês duas nos bastidores?

A Larissa é uma pessoa maravilhosa, muito generosa, muito agregadora, muito comprometida, muito batalhadora, muito simples, muito humilde e com um coração gigante... Tão pequenininha e com um coração gigante!  A gente construiu uma relação de parceria, de amizade, de afeto, sobretudo quando a gente tem que fazer cena de briga, de tapa...  A gente sai junto, malha junto, a gente vai a peça de teatro junto, a gente faz sucesso junto e traz pra essa relação profissional esse carinho que a gente também foi desenvolvendo na vida, pra eu poder dizer: Lari, pode me dar um tapa na cara tranquila, vem com amor... E aí a cena acontece porque a gente se conecta, tá junto ali, vibrando junto, e fazendo tudo com o máximo de respeito que ela tem pela Duda e que eu Duda tenho por ela Larissa... Pra Iolanda e Dorinha poderem se alfinetar!

- Você tem uma carreira como cantora e está começando a escrever a sua história como atriz. Você sempre quis atuar?

Se eu contar que o meu sonho de criança era ser atriz e não cantora, talvez ninguém acredite. Mas essa coisa de cantar veio depois, na minha adolescência, minhas brincadeiras de criança eram todas relacionadas a atuar, a modelar, a desfilar, tirar fotos... A música veio depois... E aí eu sempre fiquei com esse sonho, eu sempre quis e falava que em algum momento iria acontecer, mas eu fui me envolvendo com a minha carreira na música e não corria atrás... Aconteceu e eu acho que foi porque era pra ser mesmo, estava no meu destino, e  foi na hora certa, do jeito certo, o personagem certo com a equipe certa, como tudo tem que ser.

Assista ao novo clipe de Duda Brack: