Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Miguel Falabella e Marília Pêra premiam os melhores do teatro em 2013

Noite contemplou os melhores da área, em 12 categorias, sendo três dedicadas a musicais

CARAS Publicado em 30/01/2014, às 17h50 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Miguel Falabella e Marília Pêra - Paulo Múmia
Miguel Falabella e Marília Pêra - Paulo Múmia

A classe artística aplaudiu de pé e emocionada a primeira edição do Prêmio Cesgranrio de Teatro, no Rio. Com apresentação de Miguel Falabella (57) e Marília Pêra (71), a noite contemplou os melhores da área em 2013, em 12 categorias, sendo três dedicadas a musicais. Coube a um seleto júri formado por nomes como o da crítica Barbara Heliodora (90) apontar os vencedores. “É uma honra estar fazendo parte desta história. Desejo que esse prêmio tenha a importância do Molière”, disse Marília, no Copacabana Palace, em referência ao maior prêmio do teatro nacional entre os anos de 1963 a 1991. Grande homenageado da noite, Milton Gonçalves (80), que acumula na carreira mais de 30 espetáculos teatrais, 50 filmes e 60 novelas, comoveu os presentes ao dedicar o troféu à mulher, Oda Gonçalves, que faleceu em novembro de 2013, aos 77 anos.

“Ela primou em me direcionar para o melhor, me incentivou sempre e cuidou dos nossos filhos com o coração e a alma. Se Deus pudesse fazer um pequeno milagre e trazê-la a essa sala hoje, ela veria o carinho de todos comigo e tenho certeza de que voltaria com mais tranquilidade para o chamado ‘segundo andar’”, discursou ele, apoiado pelos filhos, Catarina (38), Alda (44) e Maurício (47). Ao lado da mulher, Olivia Byington (55), Daniel Filho (76) estava orgulhoso com o reconhecimento do amigo. “Ele merece! Somos grandes companheiros. Milton codirigiu comigo Irmãos Coragem, grande sucesso nos anos 1970, tem carreira importante também como diretor”, contou ele.

Colegas na trama  Amor à Vida, Bárbara Paz (39), Françoise Forton (56) e Carol Castro (29) também aplaudiram o mais novo tributo a produções teatrais, que distribuiu 300 000 reais entre os vencedores, e tem como idealizador Carlos Alberto Serpa (71), presidente da Fundação Cesgranrio. “Ter mais um prêmio nos incentiva a querer fazer mais. Minha vida é o teatro, a grande escola para todo o ator”, reiterou Bárbara, que fará turnê da peça Hell no Rio Grande do Sul e depois segue para São Paulo com o espetáculo Vênus em Visom. Ao lado de Cissa Guimarães (56), Antonia Fontenelle (40) e Letícia Spiller (40), Christiane Torloni (56) também reconheceu a força do evento para a classe. “A palavra de ordem hoje foi o ‘obrigado’. Quero fazer coro com tudo o que foi dito essa noite e agradecer o professor Carlos Alberto Serpa e Beth Serpa, por não desistirem de serem ‘loucos’, lindos e humanos ao criarem este prêmio”, afirmou ela.

A peça Conselho de Classe sagrou-se a grande vencedora da noite ao conquistar quatro categorias: direção, Bel Garcia e Susana Ribeiro; espetáculo; cenografia, Aurora dos Campos; e texto nacional inédito, Jô Bilac (29). O ex-casal Zezé Polessa (60) e Daniel Dantas (59), que atua na montagem de Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, com produção do filho, João Polessa Dantas (32), arrebatou respectivamente as estatuetas de Melhor Atriz e Ator. “Fiquei mais feliz pela Zezé, porque é um projeto dela, superbonito e ela faz lindamente. Temos uma parceria de cena e de vida inacreditáveis”, enfatizou  Daniel. Ao receber o troféu,Zezé fez menção à mãe, Yêda. “Lembro que quando decidi largar a Medicina, ela me expulsou de casa. Hoje entendo como um ato de confiança em mim. Depois de 30 anos de análise”, divertiu-se. Nas categorias Ator e Atriz em teatro musical, Emílio Dantas (29) venceu pela atuação em Cazuza; e Laila Garin (35), por Elis – A Musical.