Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / JUSTIÇA

Após xingamentos, empresário terá que pagar 33 mil reais a Xuxa; entenda

Adriano Caruso terá que pagar quantia após xingar Xuxa em vídeo

Xuxa Meneghel processou empresário - Reprodução/Globo
Xuxa Meneghel processou empresário - Reprodução/Globo

Xuxa Meneghel (60) vai receber 33 mil reais do empresário Adriano Caruso, após morador de Mirassol, São Paulo, xingar a apresentadora em vídeo. A decisão foi tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após a Justiça homologar um acordo depois que uma ação transitou em julgado. Entenda o que aconteceu.

Após Adriano Caruso divulgar um vídeo nas redes sociais em 2021, no qual chamava Xuxa de "louca", "idiota", "irresponsável" e "imbecil", o especialista em exportação de gado livre e consultor agropecuário foi processado pela apresentadora

"Xuxa Meneghel, se você quer fazer alguma coisa contra o agro, um setor tão sério, que leva esse país nas costas, não minta, não faça esse tipo de propaganda enganosa, principalmente em mercado internacional, falando em espanhol. Respeite o Brasil, respeite o agronegócio, respeite o agro. Tudo o que você vive, tudo o que você faz, tem agro. Então respeite sua irresponsável, sua imbecil, sua idiota", declarou o empresário no vídeo, por conta de uma campanha de maus-tratos contra animais suínos em uma granja de Minas Gerais.

No ano seguinte, ele foi condenado a pagar Xuxa sob pena de prisão em regime aberto, após a defesa da apresentadora alegar que o vídeo do empresário era "nitidamente injurioso e com o inequívoco intuito de macular a sua honra". Adriano Caruso requisitou parcelamento do valor e, depois de ser encaminhado ao STF e retornar à Justiça de Mirassol, o pedido foi acordado pelo magistrado. As informações são do portal Contigo!.

Leia também: Carlo Porto e Liah Soares celebram três anos da filha com parceria com Xuxa: 'Amor maior'

"Não existiu uma ofensa direcionada à pessoa. Acho que foi uma irresponsabilidade denegrir a imagem da pecuária. Falei em defesa da classe, e não como ofensa pessoa. Farei o que foi determinado pela Justiça, mas considero não ter havido ofensa. Eu trabalho mercado e internacional e sei quanto é sofrido levar nosso nome Brasil, pecuária, agricultura para fora. Isso me deixou indignado pela postura dela, mas não tenho nada contra ela, absolutamente", declarou o empresário sobre o vídeo em entrevista ao jornal Diário da Região, de São José do Rio Preto.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!