Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

LIVING DESIGN: História do banho e do banheiro

Conheça a história do banheiro, o segundo lugar mais querido da casa, e veja exemplos de decoração e conforto para o ambiente

Redação Publicado em 09/12/2010, às 14h42 - Atualizado em 01/07/2011, às 15h20

Banheiro clássico - Reprodução
Banheiro clássico - Reprodução

Eu não sei se você sabe, mas atualmente, o banheiro é considerado por muita gente o segundo lugar mais querido da casa - perde apenas para a cozinha. No entanto, foram precisos séculos para que isso acontecesse, já que até pouco tempo atrás, o ato de banhar-se não era bem visto por grande parte da sociedade. A história do banho não é sinônimo da história da limpeza. Apesar de a higiene pessoal ter seu papel na construção do banheiro como ele é hoje, ela não é o único aspecto. A História nos conta que muitas civilizações viam no banho como forma de prazer. Os egípcios, por exemplo, tinham adoração por eles - quem nunca ouviu falar dos banhos em que Cleópatra usava de leite de cabra? Os romanos usufruíam de balneários públicos e os árabes criaram verdadeiros templos dedicados ao banho, os hammam, que ficavam sempre próximos às mesquitas. Com a ascensão do Cristianismo e, principalmente, da Igreja Católica, esses rituais foram taxados pelo clero de pecaminosos, e tomar banho passou a ser visto como um ato de preguiça, luxúria e vaidade. Dizia-se que São Francisco de Assis considerava a sujeira do corpo uma insígnia divina, e que Santa Agnes nunca tomou banho em sua vida inteira. Na Idade Média, época dominada pelos pensamentos do catolicismo, as pessoas tomavam, no máximo, três banhos por ano - elas chegavam a acreditar que lavar-se fazia mal à saúde e que isso poderia deixar as mulheres inférteis. Foi apenas na Era Vitoriana, por volta do final do século XIX, que essas ideias foram desmistificadas e o banho passou, pouco a pouco, a ser um hábito de todos. É nesse momento que o banheiro passa a ser um ambiente da casa onde menos se encontra conforto, pois ele era apenas funcional, servia só para a higiene pessoal. Apenas no final da década de 1920 é que o banheiro começa a adquirir o formato tal qual o conhecemos, o de um espaço onde, além dos livrarmos das impurezas, também serve para relaxarmos e termos momentos dedicados apenas a nós mesmos, sem contato com o mundo externo. Hoje, quase um século depois, os banheiros voltam a ser tratados como templos de bem-estar e recebem tanta atenção quanto qualquer outro ambiente da casa. A tecnologia de agora possibilita banhos incríveis, com jatos d'água que massageiam, duchas com luzes cromoterápicas e outras invenções. Mas atenção: é muito importante que, antes de montar o seu banheiro, você faça um planejamento adequado, pois este é um cômodo da casa repleto de particularidades - inclusive técnicas. Na coluna da próxima semana, vou dar dicas de como fazer isso da melhor forma possível. Por enquanto, entre na galeria de fotos que eu preparei, cheia de imagens inspiradoras, e aproveite para ter boas ideias. E para conferir novidades diárias sobre arte, arquitetura, decoração e design, visite também o meu blog (www.monicabarbosa.com.br), onde posto novidades todos os dias. Até lá!