Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Dona Canô, mãe de Caetano e Maria Bethânia, morre aos 105 anos em Santo Amaro

Dona Canô morreu em casa, em Santo Amaro da Purificação, na manhã desta terça-feira, dia de Natal; matriarca da talentosa família Velloso, ela tinha 105 anos e teve histórico de várias internações

Redação Publicado em 25/12/2012, às 11h02 - Atualizado em 19/03/2020, às 14h58

Caetano Veloso, Dona Canô e Maria Bethânia - Arquivo
Caetano Veloso, Dona Canô e Maria Bethânia - Arquivo

Claudionor Viana Teles Velloso, conhecida como Dona Canô, morreu aos 105 anos, nesta terça-feira de Natal, dia 25 de dezembro, em casa, em Santo Amaro da Purificação, cidade do Recôncavo Baiano. Mãe de oito filhos, entre eles os célebres cantores Caetano Veloso (70) e Maria Bethânia (66), ela passou por um período de internação recente após sofrer uma isquemia cerebral, tendo sido liberada na semana passada para continuar o tratamento em casa. Segundo informações iniciais, a matriarca passou a noite de Natal com filhos, netos e bisnetos, e começou a se sentir mal na madrugada, vindo a falecer pela manhã.

Exemplo de longevidade, Dona Canô é praticamente um patrimônio histórico da cidade de Santo Amaro da Purificação, onde nasceu e vivia até hoje. Sua história já foi contada na biografia Canô Velloso, Lembranças do Saber Viver. Ela também era cantora de músicas religiosas.

Sempre doce e positiva, a matriarca - ela também tem nove netos e seis bisnetos - costumava dizer que “viver é uma coisa bonita, mas saber viver é ainda melhor”. Admirada por muitos, de todo o Brasil, ela coleciona homenagens.

Histórico das últimas internações

Dona Canô foi internada em julho de 2011 com quadro de traqueobronquite e dor abdominal. Ela recebeu alta uma semana depois e ganhou festa dos filhos e netos na Bahia. No mesmo mês, a matriarca da família Veloso recebeu a visita do ex-presidenteLuiz Inácio Lula da Silva em sua casa.

Poucos dias depois, em 2 de agosto, Dona Canô voltou ao Hospital São Rafael, em Salvador, com dores na coluna, e deixou a instituição no dia 6. No mês seguinte ganhou nova festa, desta vez, em comemoração aos seus 104 anos de vida, completados em 16 de setembro. A celebração de seus aniversários, aliás, é uma tradição. A cada ano todos se reúnem para festejar mais um ano de vida da serena Dona Canô.

Em outubro de 2011, parentes e amigos sofreram a perda de Eunice Souza de Oliveira, a Nicinha, filha de criação de Dona Canô.

Já em janeiro de 2012, dona Claudionor foi homenageada no Terno de Reis, uma das festas mais tradicionais no calendário religioso na Bahia. Conforme a tradição do evento, Dona Canô foi coroada pelos Três Reis Magos cercada por seus filhos, netos e bisnetos.

Na comemoração de seus 105 anos, novamente recebeu o carinho de toda a família. "Para nos é sempre um prazer festejar a nova idade de minha mãe. Estamos muito felizes e esperamos mais anos de vida", afirmou Maria Bethânia. A apresentadora Regina Casé foi uma das convidadas da festa, assim como Paula Lavigne, ex-mulher de Caetano.

Dona Canô deu novo susto na família em novembro, quando foi internada com sintomas de gripe e tosse, mas foi liberada pelos médicos pouco depois. Ela voltou ao Hospital São Rafael no dia 15 de dezembro e foi internada na UTI cardiológica com quadro neurológico agudo caracterizado por um ataque isquêmico cerebral (redução do fluxo de sangue nas artérias do cérebro). A família toda se uniu em corrente de oração por sua recuperação.

Abaixo, um registro emocionante em vídeo feito com Dona Canô, Caetano e Bethânia.