Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Glória Pires: pai a levou a ser atriz

Glória Pires lança sua biografia, '40 Anos de Gloria', relembrando todos os seus personagens, desde seus 4 anos de idade, e revela que foi impulsionada por seu pai, o ator humorístico, Antônio Carlos Pires, a seguir carreira

Redação Publicado em 12/07/2010, às 16h13 - Atualizado às 17h53

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Gloria Pires - Orlando Oliveira /AgNews
Gloria Pires - Orlando Oliveira /AgNews
Aos 46 anos, a atriz Glória Pires comemora 40 anos de carreira em grande estilo. Ela se prepara para voltar à televisão na nova novela de Gilberto Braga, "Lado a Lado", que substituirá Passione, e divulga a sua biografia, '40 Anos de Gloria', que foi escrita por Eduardo Nassif e Fabio Fabretti. "Foi muito legal relembrar tudo, já que não tenho um arquivo pessoal em casa, não tenho muitas fotos, vários detalhes eu não me recordava", contou Glória, que em 2001, quando Eduardo lhe propôs a biografia, achou que era "antes da hora" pois ainda tinha muito o que viver. Mas Eduardo, que acima de tudo é fã da artista, logo a convenceu de fazer a biografia, ao listar tudo que ela já realizou profissionalmente, comprovando que renderia muitas páginas. No livro há detalhes de cada personagem e as curiosidades de sua vida na época de cada novela e filme que realizou, como por exemplo, quando atuou em Memorial de Maria Moura. "O fato de ela ter muito contato com a natureza e ter que aprender até a montar em cavalos, a inspirou a querer ficar mais perto desse universo e logo depois, ela e o marido, Orlando Morais, compraram uma fazenda em Goiás", disse o autor do livro. Entre esses relatos, há muitas fotos de Glória mais jovem, e algumas dela criança, em estúdios de gravação com seu pai, Antônio Carlos Pires, falecido em 2005. Ele, que foi um grande ator humorístico, participando do elenco de programas como Chico Anysio Show e Escolinha do Professor Raimundo, foi o maior incentivador para que Glória começasse a carreira. "Se não fosse meu pai, eu com certeza não teria sido atriz. Ele me impulsionou. Na época, a profissão nem era tão bem vista, não era normal e eu era tímida. Vê-lo se maquiar para viver seus personagens me deixou encantada e me fez querer conhecer mais aquele mundo". O último filme que Antônio fez no cinema foi O Quatrilho, em que filha e pai atuaram juntos. Glória lembrou ainda que na época que começou, em 1968, quando as pessoas lhe viam nas ruas e a reconheciam, falavam "nossa como ela é linda e simpática", impressionadas com o fato de ela realmente existir, tamanha era a curiosidade sobre esse universo. O fim do livro dá um gostinho de 'quero mais' ao leitor. Ele relata Gloria voltando da França, onde morou nos últimos dois anos com sua família, e desembarcando no Rio de Janeiro, sua cidade natal, para divulgar a biografia e se preparar para o novo trabalho. Eduardo adiantou que tem vontade de fazer um documentário com a atriz e quem sabe os "50 anos de carreira de Glória Pires". Com certeza a atriz terá muito o que contar, já que ela disse que ainda tem vontade de fazer coisas novas. "Sempre falta algum personagem, algum trabalho. Não saberia agora dizer qual, mas sempre estou em busca de retratar os dramas humanos, que são muito maiores que qualquer filme ou novela. Falta muita coisa, tem muita estrada pela frente".