Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Ana Paula Padrão se despede da TV: 'Não pretendo ficar para sempre longe dela'

Redação Publicado em 26/03/2013, às 08h00 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Ana Paula Padrão - Divulgação/ Arquivo CARAS
Ana Paula Padrão - Divulgação/ Arquivo CARAS

Acostumada a dar notícias, Ana Paula Padrão (47) virou notícia semana passada. A jornalista anunciou sua saída da Record após quatro anos na emissora e revelou que, neste momento, pretende se dedicar aos seus projetos pessoais: uma empresa de comunicação focada no universo feminino e uma agência de conteúdos televisivos.

Substituída por Adriana Araújo (37) na bancada do Jornal da Record, Ana Paula falou com exclusividade a CARAS Online sobre a virada que está dando em sua carreira. “Estar mais quatro anos na bancada foi muito bom por vários motivos. Fiz vários eventos esportivos, muitas séries de reportagens que adoro e estabeleci uma aproximação com o telespectador da Record - a mulher média brasileira. Os negócios cresceram e agora me permitem um investimento maior, em esforço, neles”, disse a jornalista.

Ana Paula também revelou que não descarta a possibilidade de retornar à televisão. “Se, em algum momento, aparecer uma oportunidade que combine com meus negócios e me agrade, posso estudar”, afirmou. Confira a entrevista na íntegra:

- Quando e como decidiu tomar a decisão de não renovar seu contrato após tantos anos trabalhando como repórter e âncora de jornal televisivo?
- Desde o início do contrato já sabia que seriam apenas quatro anos. O próprio contrato não previa nenhuma cláusula de renovação automática, como é comum. Naquele momento, há quatro anos, eu já tinha minha primeira empresa, a Touareg Conteúdo, e fazia pesquisas de viabilidade para um segundo negócio, que finalmente lancei em agosto de 2011: o Tempo de Mulher, uma empresa de comunicação com a mulher em diferentes plataformas. Estar mais quatro anos na bancada foi muito bom por vários motivos. Fiz vários eventos esportivos, muitas séries de reportagens que adoro e estabeleci uma aproximação com o telespectador da Record - a mulher média brasileira. Os negócios cresceram e agora me permitem um investimento maior, em esforço, neles.

- Sua saída da Record para tocar outros projetos profissionais significa que vai deixar de trabalhar na TV?
- Adoro TV e não pretendo ficar para sempre longe dela. O que terminou é meu período como âncora, meu período hard news. Se, em algum momento, aparecer uma oportunidade que combine com meus negócios e me agrade, posso estudar.

- Que tipo de projeto a faria voltar para a televisão nesse momento ou futuramente?
- Não pensei sobre isso. Por enquanto, estou focada nas empresas. Preciso de uns meses para colocar tudo em ordem. Tinha um business plan que foi atropelado pelo crescimento da Tempo de Mulher e preciso traçar novas estratégias. A Touareg também cresceu muito com a demanda de conteúdo brasileiro para as TVs a cabo. Preciso cuidar do que criei!

- Você já recebeu propostas de outras emissoras depois de anunciar sua saída da Record?
- Não. Nem antes nem depois. Sei que o telefone vai tocar, mas não tenho pressa nesse momento.

- Como você entende a sua missão no jornalismo nesse momento?
- Acho que é hora de devolver. Acho que é hora de usar minha experiência para algo próprio, algo mais autoral. A plataforma de eventos do Tempo de Mulher me permite conversar bastante com e sobre os assuntos que interessam à executiva. A revista Tempo de Mulher Business também é um excelente canal de comunicação com a mulher que trabalha e que tem tanta coisa atrás da agenda profissional. Tudo isso também é jornalismo. O portal Tempo de Mulher é puro conteúdo para a mulher média brasileira. Fruto de muita pesquisa sobre os assuntos que interessam a ela e sobre como ela melhor apreende essas questões. Enfim, continuo jornalista, mas em outras plataformas.

- Para você é fácil ser empresária? Como dividia seu tempo com tantas atribuições?
- Não foi fácil no início. É um aprendizado. Sou uma liderança pelo exemplo, trabalho muito e com prazer. Mas não viro as costas para minha vida pessoal, meus fins de semana, minha agenda fora do trabalho.

- Tanto trabalho estava afetando sua vida pessoal?
- Não, apenas tinha que usar mais corretivo nas olheiras (risos)! Mas é claro que agora vou poder aproveitar mais os feriados e fins de semana.

- Que dicas você daria para uma mulher que tem tantas atividades profissionais como você?
- Fazer o que gosta. Ter prazer nas atividades que desempenha. Mas não descuidar de tentar ser plena como mulher. Sentir-se bonita, amada, desejada, faz parte de ser mulher. O trabalho não deve ser um fim em si mesmo, mas um meio para atingir aquilo que você quer. E a gente quer ser feliz em todos os nossos universos!

- Você vai tirar férias antes de continuar com seus outros projetos?
- Nada de férias! Só o feriado da Semana Santa...