Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Viola Davis fala sobre preconceito na TV: 'Eu me sinto sexy, eu me sinto feliz, eu me sinto viva'

Atriz de How To Get Away With Murder falou sobre a falta de personagens negras em papéis de destaque em séries e novelas da TV norte-americana

CARAS Digital Publicado em 22/06/2015, às 10h52 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Viola Davis - Getty Images
Viola Davis - Getty Images

Cotada para ser a primeira atriz de origem africana a vencer o Emmy, o Oscar da TV nos Estados Unidos, Viola Davis falou para a The Wrap sobre o sucesso de How To Get Away With Murder, uma das séries de maior sucesso por lá no momento.

+ Jared Leto pinta o cabelo de verde para viver o Coringa nos cinemas

A atriz, que já foi indicada ao Oscar pelo drama Histórias Cruzadas, comentou a importância das premiações.

''Eu me acostumei com isso com prêmios. Eu sempre digo, é algo Robert de Niro disse em seu discurso de formatura na Universidade de Nova York, eu sempre tenho na minha cabeça a frase "e depois?" Depois da premiação, depois que o tapete vermelho é enrolado, depois que a série não estiver mais na TV - porque isso vai acontecer, mais cedo ou mais tarde - e depois? Minha carreira como ator é muito maior do que Annalise Keating [personagem em How To Get Away With Murder], é muito maior do que um prêmio Emmy ou um Oscar. Então e depois? E o meu trabalho, e vou continuar reiterando isso, é criar pessoas. E eu sempre espero que as pessoas vejam isso'', disse.

Viola ainda comentou o preconceito da indústria e sua tentativa de quebrar estereótipos.

''Eu me sinto sexy, eu me sinto feliz, sinto-me viva. Às vezes me sinto insegura, como qualquer mulher, mas me sinto muito bem comigo mesmo em 50. Dito isto, quando você vê uma mulher de cor na tela, o teste do saco de papel ainda está muito vivo: se você for mais escura do que um saco de papel, então você não é sexy, você não é uma mulher, você não deve estar no reino de qualquer coisa que os homens devem desejar. E na história da televisão e até mesmo no cinema, eu nunca vi um personagem como Annalise Keating interpretado por alguém que se parece comigo. Minha idade, minha cor, meu sexo", encerra.