Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS

Miá Mello fala como concilia sua rotina de mãe com o The Voice Brasil

Fazendo sucesso no programa musical e nos cinemas com o filme Meu Passado Me Condena, ao lado de Fábio Porchat, a atriz e apresentadora revelou que se desdobra para cuidar da filha Nina, de 4 anos, pois tem uma rotina puxada de trabalho

Luiza Camargo Publicado em 06/12/2013, às 11h32 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Miá Mello - Divulgação/TV Globo
Miá Mello - Divulgação/TV Globo

Miá Mello vive sua melhor fase profissional. A atriz, humorista e apresentadora está fazendo sucesso na TV e nos cinemas.  Substituta de Dani Suzuki na sala de bate-papo do The Voice, a paulistana de 32 anos também comemora o sucesso do filme Meu Passado Me Condena, que protagoniza com Fábio Porchat, que já levou mais de 2,5 milhões de pessoas aos cinemas.

Em entrevista à CARAS Online, Miá contou como consegue conciliar sua corrida rotina profissional com a de mãe- ela tem uma filha, Nina, de 4 anos- e fala sobre o desafio de apresentar ao vivo um dos programas de maior sucesso da TV brasileira e comenta sobre sua fama como humorista. Confira!

+ Miá Melo, do The Voice, conta como mantém a forma

- Como você concilia as gravações do The Voice com a sua vida pessoal e a criação de sua filha?

Eu me preocupo muito com a educação da minha filha e, como meu trabalho não tem uma rotina fixa, tento estar totalmente presente na vida dela quando não estou trabalhando. Acho que no final, a média é muito positiva. Tem vezes que tenho que virar a noite gravando (estava terminando de gravar a serie “Meu Passado Me Condena" e tive que conciliar com o início de gravação do “The Voice Brasil”), mas tem vezes que consigo levá-la e buscá-la na escola. Eu sempre acho que a melhor ferramenta pra boa relação com os filhos é o diálogo transparente. Sempre explico tudo o que esta acontecendo na minha vida, mesmo quando ela era bem pequena e, talvez, não conseguisse compreender tudo. Uso o mesmo método com a escola, estou sempre com um canal de comunicação aberto por lá. Esses dias mesmo  ela ia ter uma aula aberta de inglês e não poderia assistir porque teria gravação. Eles abriram um outro dia e as crianças se apresentaram para mim. Sou do tipo que choro, canto junto, dou gargalhadas...

- Como é apresentar um programa como o The Voice, ainda mais agora que tem apresentações ao vivo.  Você fez alguma preparação especial? Fica muito nervosa?

Já tinha feito algumas coisas ao vivo sim, então é mais fácil. Mas, com certeza, o fato do programa estar muito em evidência, torna o desafio ainda maior. Como eu gravo os flashes do programa, que vão ao ar durante a programação da Globo, eu acompanho tudo o que esta rolando no “The Voice Brasil” e isso me dá conteúdo para comandar a sala de bate-papo. Estudo o roteiro antes para saber em que partes do programa vou entrar, o que vai estar rolando no palco que posso repercutir na minha salinha. E tudo isso me dá segurança para as entradas que não estão previstas, que sempre acontecem.

- O Filme Meu Passado Me Condena é um sucesso nacional, com mais de 2,5 milhoes de espectadores. Você esperava esse sucesso? Como é a sua relação com o Fábio Porchat?

Eu já estava muito feliz com todo processo. Foi um filme feito com muito carinho e dedicação. E muito diferente também, por ter sido quase todo filmado em um transatlântico. Acho que o reconhecimento do público vem como a ‘cereja do bolo’. Eu e o Fábio temos uma ótima relação dentro e fora do trabalho. Nós temos uma sintonia muito afiada e um gosto bem parecido. Eu admiro a forma como ele trabalha, o fato de sempre estar atento a tudo. Com tudo isso, o trabalho fica ainda mais prazeroso.

- Você é mais conhecida por ser humorista, já que ganhou fama participando do grupo Deznecessários, do Legendários e do Casseta & Planeta. Mas, também é atriz e agora apresentadora. Qual é a profissão que você prefere? Gosta de fazer humor?

Me formei na Escola de Teatro Célia Helena. Vim do teatro, mas me tornei conhecida do grande público em um programa de humor e acabei entrando em outros trabalhos do mesmo gênero. Acho que, por isso, as pessoas me reconhecem como humorista. Agora estou também apresentando, que é muito divertido, e estou me esforçando para fazer um bom trabalho. Todas as facetas da comunicação me interessam.