Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Carla Diaz: "Não tenho essa neurose de estar namorando"

Pela primeira vez morando sozinha, ela enaltece fase de amadurecimento

CARAS Publicado em 14/01/2015, às 10h21 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

No apartamento, no Rio, comprado pela mãe com o dinheiro dos seus cachês, a atriz conta como administra a vida doméstica. - CÉSAR ALVES
No apartamento, no Rio, comprado pela mãe com o dinheiro dos seus cachês, a atriz conta como administra a vida doméstica. - CÉSAR ALVES

A atriz Carla Diaz (24) está descobrindo os desafios de ter uma vida mais independente. A mãe, Mara (52), seu braço direito, vive atualmente em São Paulo. Então, pela primeira vez, ela está morando sozinha na Barra, Rio. “Agora preciso administrar tudo, do pagamento das contas à comida. São responsabilidades que não eram tão presentes na minha rotina. É uma fase de amadurecimento”, define Carla, que despontou na TV com papéis marcantes como a Maria, de Chiquititas, em 1998, e a Khadija, de O Clone, em 2001.

Na vida afetiva, tudo também é novo. Desde novembro, a atriz está solteira após o fim do namoro de mais de um ano com o empresário Felipe Lombardi (23). “Quando se é feliz consigo mesmo, tudo fica em paz. Não tenho essa neurose de estar namorando. Deixo a vida me levar. Se sentir uma energia boa por alguém, vou mergulhar, não há regra, acontece”, diz.

Seu foco agora é tocar a agenda profissional. Entre os trabalhos, uma peça de teatro, a apresentação de um programa no Portal R7 e a segunda temporada da série Plano Alto, da Record, em que deu vida a uma black bloc.

É difícil conquistar você?
Acho que não. Se aparecer alguém verdadeiro, divertido... Essas características me atraem. O olhar também diz muito. Hoje as pessoas se comunicam só por rede social, sem troca de energia. Isso é importante para mim, olho no olho, conversa.

Com a carreira estabilizada desde cedo, por que não resolveu morar sozinha antes?
Nunca tive essa ansiedade. Minha mãe sempre me ajudou. Agora aconteceu. Ela me deu esse apartamento no meu aniversário de 15 anos. Disse que juntou meus cachês para comprar. Fiquei louca! Orgulhosa de mim e dela também, por ter guardado o dinheiro.

E como você tem se virado sozinha? Alguma dificuldade?
No início, colocava na busca da internet como se fazia um arroz. Ou então ligava para minha mãe, minha avó e perguntava como cozinhava feijão. Hoje meu arroz é bem soltinho, melhor do que o da mãe, que parece cuscuz. Também já faço boa massa, carne moída com macarrão, filé mignon.

Percebe ter amadurecido com esse novo momento?
Com certeza! Aprendi a me virar. Com 24 anos de idade e 22 de carreira, tive a noção de que ser organizada como dona de casa é fundamental para a vida.

A sua estatura, 1,53m de altura, faz com que ainda a vejam como menina?
Não sei. Cresci na TV, comecei aos 2 anos, e conforme os anos passavam os papéis foram mudando. Em Plano Alto, fiz uma mulher envolvida com política. As pessoas olhavam e diziam: ‘Gente, a Carla Diaz cresceu!’

O cabelo mais escuro também deixou você menos angelical...
Adorei! Fiz para Milagres de Jesus, curti tanto que só volto a ficar loira mais para frente.

Em 2014, você apresentou atração online do reality A Fazenda. Qual o objetivo?
Isso é uma extensão da minha carreira de atriz, um complemento. Nunca vou deixar de atuar.