revista Capa

Nova fase de Ana Hickmann com a família

Reflexões impulsionam apresentadora a querer mais tempo com seu filho

Tainá Goulart Publicado segunda 27 janeiro, 2020

Reflexões impulsionam apresentadora a querer mais tempo com seu filho
Na suíte Ambassor, do Four Seasons São Paulo, Ana e Alexandre põem o filho, Alezinho, para dormir - Martin Gurfein


É hora de colher os frutos do que foi plantado na vida de Ana Hickmann (38). Se 2019 ela consegue resumir em três palavras, 2020 será muito além de viagens, empenho e reflexão. “Para mim, 2019 foi como um rolo compressor, tanto no lado positivo, quanto no negativo. Não parei um segundo!”, afirma a apresentadora do Hoje em Dia, da RecordTV, que, praticamente, criou rodinhas nos pés de tanto que viajou e trabalhou. Dentro do Brasil, ela foi do Oiapoque ao Chuí, cidades pequenas e grandes capitais. No exterior, Portugal, Curaçao, Canadá, Israel e Miami, entre outros países. “Alguns foram passeios de férias, mas grande parte dos destinos foi por conta do meu trabalho, que só me deu alegrias. Eu aprendi que a paixão pelo que faço precisa existir. As reflexões desse rolo compressor que foi 2019 foram bem profundas, especialmente no quesito família”, diz ela. “O meu empenho nunca foi tão grande quanto o do ano passado e os frutos são inúmeros. Porém, agora, vou colocar o pé no freio, para ficar mais do lado do meu marido e do meu filho”, reflete Ana, casada há 24 anos com o empresário Alexandre Correa (48), com quem tem Alexandre Jr. (5). Ela também pretende promover alterações na rotina e se dedicar mais à família.

– Como você pretende colocar um freio na sua vida?

– Já comecei pelo planejamento da agenda de 2020. Para me tirar de casa nos fins de semana vai ser muito difícil. Só por um motivo absurdamente grande e importante. E olhe lá. Estar mais em casa é uma das práticas que vou fazer agora. Quero curtir mais o meu casamento, que vai fazer bodas de prata este ano, e o Alezinho. Preciso ir aos poucos cortando este vínculo tão forte com trabalho. Não consigo tirar um ano sabático, pois muitas pessoas dependem dos resultados do meu trabalho, é muita responsabilidade.

– Alguma vez seu filho reclamou de você não estar presente?

– Sim, e eu refleti muito sobre estas demandas dele. Aliás, ver o Alezinho crescer foi a chave que virou para acontecer esta transformação. Não me sinto culpada pelas coisas que eu já fiz no assunto trabalho, pelo tempo que eu estou fora ou em casa, até porque faço questão de ter qualidade no tempo que passo com a minha família. Mas, com o crescimento dele, o meu filho está me pedindo mais atenção.

– De que forma?

– Este ano, o meu filho completa 6 anos e está cada vez mais questionador. Me dá uns chacoalhões que até fico sem fala. Agora, ele está começando a entender que, às vezes, a mãe dele não está com ele nos eventos da escola, que os amiguinhos têm a mãe por mais tempo… E as perguntas estão ficando cada vez mais desafiadoras para responder. Tão pequeno e já com tanta compreensão. Uma lição muito grande para mim.

– O que mais foi lição para você em 2019?

– Foram muitos momentos difíceis, como a morte do meu pai no começo do ano e de tantas pessoas queridas amigas e do meu convívio profissional. A morte do Gugu, por exemplo, me marcou muito, pois quando você está doente, você meio que espera e se prepara para o momento de dizer adeus. Mas, quando é do nada, como foi com ele, não é o curso natural da vida, sabe? Refleti muito sobre o valor do tempo, de cada segundo que você respira... O amor é agora. É dizer eu te amo hoje, fazer bagunça, correr atrás de sonhos… tudo no aqui, agora.

– Quais os frutos que você espera para este seu novo planejamento de tempo?

– Com certeza, passar mais tempo em casa, melhorar a qualidade desses momentos e cuidar mais de mim. Em 2020, vou completar 39 e o meu corpo não está respondendo do mesmo jeito. Preciso me preservar física e psicologicamente. Eu e o meu marido gostaríamos muito de ter tido nosso segundo filho e acho que foi por conta dessa correria toda do trabalho que isso não aconteceu.

– Você mantém os planos do segundo filho para este ano?

– Sim, mantenho. Antes, era aquela história de deixar acontecer, no entanto, não aconteceu e isso me deixou muito pensativa. Inclusive por conta do Alezinho, que vive pedindo um irmãozinho, pois quer que seja um menino e já até criou as brincadeiras para os dois juntos. O meu filho está na fase dos porquês e vive me perguntando quando o irmãozinho dele vai chegar. Converso muito com o Alezinho e ele está entendendo cada vez mais.

– Já sentiu algum tipo de pressão externa para ser mãe pela segunda vez?

– Nunca me deixei ser pressionada por nada, especialmente para ter o meu segundo filho. As pressões existem, sim, porém, elas entram por um lado e saem pelo outro. Eu respeito a vontade de Deus, para tudo na minha vida. Não fico mal com nada disso, tenho o meu maior bem, que é o Alezinho, e se vier o segundo, ele também será uma grande bênção. Costumo dizer que querer não é poder, mas a gente encontra formas de poder e corre atrás.

– Podemos esperar a Ana se renovando também na TV?

– Com certeza! Lembra daquele cabelão loiro que eu usei ano passado? Ele tem muita ligação com o meu novo projeto. Vou comandar um grande reality show de beleza dentro do Hoje em Dia, trazido ao Brasil pela Endemol, que vai mudar a vida de muita gente. Não é um formato desconhecido para mim, mas é um desafio e tanto. Nunca me senti acomodada como apresentadora, pelo contrário, fui em busca de diferentes estilos e, em 2019, as viagens vieram com mais intensidade.

Último acesso: 03 Jul 2020 - 20:34:30 (341290).