Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Primeira viagem de avião do bebê exige cuidados especiais

A primeira viagem de avião do bebê é cercada de dúvidas com segurança, alimentação, vestimentas e até a idade ideal para embarcar. Entenda os cuidados necessários e saiba ainda como distrair a criança durante o voo. Boa viagem!

Redação Publicado em 28/02/2013, às 18h10 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Levar biscoitos e brinquedos na viagem é essencial para distração dos pequenos. Veja mais dicas - Shutterstock
Levar biscoitos e brinquedos na viagem é essencial para distração dos pequenos. Veja mais dicas - Shutterstock

A primeira viagem de avião do bebê pode ser tranquila e 100% agradável se os pais tomarem certos cuidados e não esquecerem de incluir alguns itens a mais na mala. “Leve os brinquedos favoritos, os bichinhos de estimação e um iPod com músicas que as crianças gostem, pois o sistema de som do avião não costuma ser apropriado para elas”, diz  Danilo Blank, membro do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Idade correta
Uma dúvida bastante frequente entre os pais é a idade ideal para os bebês viajarem. As companhias áreas aceitam crianças que tenham, no mínimo, 7 dias de vida. Porém, médicos sugerem que esse prazo seja ainda maior para evitar o contágio de doenças. “Devido a infecções, não é prudente que um bebê menor de três meses viaje de avião”, afirma Blank.

Alimentação
Não deixe de levar água, suco ou chá que seu filho esteja acostumado a tomar. Oferecer biscoitos ou aperitivos que ele goste também é um jeito de distraí-lo, tornando o voo menos estressante. “Evite alimentar as crianças antes da decolagem, pois a comida é uma grande distração durante a viagem”, aconselha o pediatra. 

Roupas
Embora a temperatura dentro do avião seja agradável, é sempre recomendável levar mais de uma peça. “Crianças devem ser vestidas ‘em camadas’ para facilitar a adaptação ao ar-condicionado ou a calores inesperados. Leve sempre duas mudas extras de roupa, cobertor, fraldas e lenços umedecidos”, diz Blank.

Saúde
Caso seu bebê apresente algum problema de saúde, como doenças respiratórias, cardíacas ou até mesmo uma infecção no ouvido, só poderá viajar após análise clínica. “O oxigênio é sempre mais rarefeito em grandes altitudes, mesmo no interior da aeronave, por isso, qualquer criança que tenha um problema crônico, como asma, deve receber sinal verde do pediatra antes de viajar, além de estar com suas medicações em dia e condição de saúde estável”, diz Blank.

Segurança
Colocar o bebê em um local adequado pode evitar traumatismos durante uma turbulência. “O assento de segurança infantil deve ser instalado em uma poltrona próxima à janela, para facilitar a mobilidade. Verifique com antecedência se a largura do assento de segurança cabe na poltrona do avião, que normalmente tem 40 cm”, lembra o pediatra.

Documentação
Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, crianças menores de 12 anos devem estar acompanhadas dos pais. Se o seu bebê for viajar com familiares, há a necessidade de autorização judicial para o embarque. Em viagens com os pais, apenas a certidão de nascimento ou documento de identidade é suficiente.

Da Redação