Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / ENTREVISTA

Duda Beat volta à cena musical e desabafa sobre o pós-pandemia: 'Saí triste, deprimida'

Em entrevista à CARAS Brasil, Duda Beat abriu detalhes da produção de seu 3º álbum e comentou sobre era de 'sofrência sensual' que chega em 2024

por Mariana Arrudas

marrudas_colab@caras.com.br

Publicado em 28/11/2023, às 16h51

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
A cantora Duda Beat - Foto: Reprodução/Instagram @qgdudabeat
A cantora Duda Beat - Foto: Reprodução/Instagram @qgdudabeat

"Bonito é me ver renascer". É com essa frase que Duda Beat (36) define os últimos —e próximos— meses de sua carreira e a chegada do terceiro disco em 2024. Em entrevista à CARAS Brasil, a cantora deu spoilers da era "sofrência sensual" e desabafou sobre o difícil período que enfrentou no pós-pandemia, durante a produção do novo trabalho.

"Esse disco foi o mais difícil para fazer porque eu acordava e não estava no clima de gravar, de pensar nisso. Saí triste, deprimida mesmo da pandemia. Ainda bem que eu tenho a terapia que me ajuda muito", diz Duda Beat. Agora, a artista diz estar querendo curtir e "vibrar no positivo" após dois anos de renascimento pessoal e profissional.

Ela afirma estar rodeada de bons amigos e feliz com seu namoro, com o músico Tomás Tróia, além de estar de casa nova na carreira. Na última semana, a artista, que até então levava suas produções de forma independente, assinou um contrato com a Universal Music, gravadora de nomes como Taylor SwiftAnitta Ivete Sangalo

Leia também: Duda Beat fala sobre volta dos shows, turnê internacional e parceria com Pabllo Vittar

Para começar a divulgar o álbum, Duda Beat lançou o single Saudade de Você em novembro, que já mostrou um pouco de sua próxima era, mais dançante, sensual e divertida, porém sem abandonar a sofrência característica de seus seis anos de carreira. "Não estou deixando de lado a sofrência que todo mundo ama, mas é um disco que fala muito sobre mim e esse momento que eu estou agora."

No próximo trabalho, a artista pretende unir o clássico ao futurista, bebendo de inspirações como o Miami Bass e Garage. Apesar de não dar muitos spoilers sobre novos lançamentos, a cantora afirma que a maior parte deve ficar para o ano que vem. "É um disco diferente de tudo o que eu já fiz, mas ao mesmo tempo completamente eu."

Abaixo, Duda Beat dá mais detalhes da produção do clipe de Saudade de Você, gravado em preto, branco e prata; conta sobre a decisão de deixar a carreira independente para assinar com a gravadora e também abre o coração sobre seus sonhos para 2024. Confira a seguir trechos editados da conversa.


Saudade de Você trouxe uma pegada retrô e sexy ao mesmo tempo. Por que essa escolha?
Essa escolha veio de uma vida inteira, Miami Bass, Garage são ritmos que estão na minha vida há muito tempo. A minha década favorita da música são os anos 80, neles você sofre de uma forma sensual. Eu sou muito assim, a pessoa que sofre e ao mesmo tempo é sensual. Tem essa coisa da sofrência sensual, que os anos 80 e o brega de Recife trazem como referência.

O clipe foi gravado completamente em preto, branco e prata. Como foi essa produção?
Foi muito desafiador, porque a gente ama o colorido. Quando meu diretor criativo chegou com essa proposta para mim, ele falou: 'Vamos nessa, porque a música é f. independente se o clipe será colorido ou preto e branco, a canção é muito f. vamos arriscar'. Tudo se explica em uma coisa simples. Fiquei muito feliz com a escolha, achei que ficou chique demais com muitas referência de Madonna e Debbie Harry. Foi uma virada, um reset.

duda-beat
Foto: Reprodução/Instagram @dudabeat

O que podemos esperar desse reset?
É um disco diferente de tudo o que eu já fiz, mas ao mesmo tempo completamente eu. Não estou deixando de lado a sofrência que todo mundo ama, mas é um disco que fala muito sobre mim e esse momento que eu estou agora, em um relacionamento maravilhoso, correspondido, com amigos maravilhosos, me mudei de casa e estou indo para uma nova casa na minha vida profissional. É uma Duda que está querendo curtir e vibrar no positivo. As letras ainda vão vir com a carga emocional e reflexões, mas ao mesmo tempo a gente vai se jogar um pouco na pista porque a gente merece.

Podemos dizer que veremos o lado futurista nessa nova era de Duda Beat?
Eu sou uma artista que reflete o passado, mas às vezes está muito à frente. Um dia eu estava de bobeira após um show e fui ver os presentes que recebi, principalmente as cartas e uma fã tinha escrito assim: 'Você é a nossa representante do futuro'. Nunca esqueci disso, fiquei arrepiada. Era exatamente o que eu queria. É muito interessante como esse meu ascendente em aquário me coloca no radar do que está em alta. Essa música [Saudade de Você] estava pronta há oito meses, e o clipe desde julho.

O próximo passo na carreira veio acompanhado do fim do ciclo como artista independente. Por que?
Meu coração está a mil, estou com essa conversa com a Universal já tem muitos meses. Tem algumas coisas que eu não abro mão e sou muito séria no meu trabalho, eles foram muito parceiros comigo. Vai ser uma parceria que vai dar super certo, estou muito animada para esse novo capítulo na minha vida. Eu estava precisando dar essa virada. Sei que sou uma artista a cara do independente, sempre levanto essa bandeira. Foi uma escola que durou seis anos. Tudo o que aconteceu na minha vida foi importante para construir quem eu sou, saber quanto vale o meu trabalho e como eu posso negociar.

Como é poder avaliar o ano de 2023 agora que estamos nos últimos meses?
Fazendo uma retrospectiva, a frase que mais resume é de uma canção do meu disco novo: 'bonito é me ver renascer', porque eu estava triste. Mas eu dei a volta por cima, decidi entregar um disco massa. Me ver renascer nesses dois anos foi muito bonito e transformador para mim e para todas as pessoas ao meu redor.

Quais são seus sonhos para 2024?
Meu maior sonho é a criatividade infinita, quero sempre ter uma cabeça boa e ser um canal para escrever e compor da maneirinha que eu faço. Que não me falte forças para escrever e botar no papel as coisas que eu sinto, que estou vivendo. Quero trabalhar muito, que muitas pessoas escutem as minhas canções, para que elas tenham acesso às minhas mensagens que são muito empoderadoras. Esse é meu maior sonho, além de todos os sonhos sociais e políticos.

O que você espera do seu novo álbum?
O segundo disco me colocou em um lugar de respeito muito bonito, e o meu terceiro disco tenho certeza que as pessoas vão gostar, dançar, se divertir e sofrer um pouquinho também [risos].